Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Home  >  Sem Categoria

Amazon começa a usar videoconferências para combater fraudes

Essas e outras ações tem sido tomadas para aumentar a segurança dos compradores

Da Redação

30/04/2020 às 15h00

Foto: Shutterstock

A Amazon está com um novo sistema de validação de identificação de vendedores externos por videoconferência, anunciado esta semana. 

A tecnologia faz parte de uma série de processos de verificação de vendedores que a Amazon usa para combater fraudes em sua plataforma. Segundo a companhia 2,5 milhões de suspeitos de possíveis fraudes foram impedidos de publicar produtos na Amazon em 2019.

No início deste ano, a companhia começou a testar um processo em que as verificações de vendedor eram realizadas pessoalmente. Mas, devido aos surtos de coronavírus e aos requisitos de distanciamento social, a empresa diz que se dedicou às videoconferências a partir de fevereiro.

O programa-piloto está sendo executado em vários mercados, incluindo EUA, Reino Unido, China e Japão. Até o momento, mais de 1.000 vendedores tentaram registrar uma conta por meio da experiência, diz a Amazon.

Para avaliar os vendedores, a equipe configura uma vídeo-chamada e verifica se a identificação do indivíduo corresponde à pessoa e aos documentos que eles compartilharam com o aplicativo. 

Também é feita uma checagem das fontes de dados de terceiros para verificação adicional. Além disso, a ligação pode ser usada para fornecer ao vendedor informações sobre problemas com seu registro e como resolvê-los.

"A Amazon está sempre inovando para melhorar a experiência do vendedor, para que empreendedores honestos possam abrir uma conta de vendas e iniciar um negócio sem problemas, além de bloquear proativamente aqueles com má-fé", disse um porta-voz da Amazon sobre a nova iniciativa.

Outras ferramentas

Além da videoconferência, a
Amazon também usa um sistema proprietário de machine learning para verificar os
vendedores antes que eles sejam publicados, diz o documento. 

Esse sistema analisa centenas
de pontos de dados diferentes para identificar riscos em potencial, incluindo
verificar se a conta está relacionada a outra conta que foi removida
anteriormente do mercado, por exemplo. As solicitações dos vendedores
também são analisadas por investigadores treinados antes de serem aprovadas.

Ações paralelas

A questão continua sendo um problema sério nos mercados online, onde os vendedores vendem itens falsificados e enganam os consumidores. Alguns varejistas, incluindo Nike Birkenstock , descobriram que os aborrecimentos não valem o risco de ter de lidar com a Amazon, como resultado.

Enquanto a varejista tem sido acusada de evitar problemas em torno de fraudes, só mais recentemente se comprometeu a gastar bilhões para resolver o problema e inseriu-se em batalhas legais com vendedores fraudulentos e falsificadores nos últimos anos.

Outra ferramenta, a serialização, permite que as marcas incluam um código exclusivo em seus produtos durante a fabricação, que pode ser digitalizado posteriormente para verificar se uma compra é autêntica. Essa ferramenta, agora conhecida como Transparência, foi expandida para outros mercados no último verão, incluindo Europa, Canadá e Índia.

Mas, diferentemente desses
esforços anteriores, a verificação do vendedor visa reduzir os produtos
listados em primeiro lugar - não apenas removidos quando as listagens entrarem
em vigor ou impedir que produtos fraudulentos sejam enviados aos clientes.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15