Home  >  Plataformas

Você deve se preocupar com a computação quântica?

Computação quântica se encaixa no mundo da computação em nuvem e, talvez, também em novos casos de uso para as organizações

David Lintichum, Infoworld

11/02/2021 às 9h24

Foto: Adobe Stock

Você pode pesquisar no Google qualquer número de definições confusas de computação quântica. Simplificando, os computadores quânticos são máquinas que potencializam os atributos da física quântica para armazenar dados e realizar cálculos. Simples? Só que não.

A melhor maneira de entender o valor da computação quântica - ou a falta dela - é entender seus casos de uso. A computação quântica pode ser vantajosa para certas tarefas em que pode superar amplamente até mesmo supercomputadores. É normalmente associado aos seguintes casos de uso: segurança cibernética, desenvolvimento farmacêutico, modelagem financeira, melhoria de baterias, fertilizantes mais limpos, otimização de tráfego, previsão do tempo, mudança climática, inteligência artificial, captura solar e descoberta de materiais eletrônicos.

A computação tradicional também pode resolver esses problemas, certamente computadores de alto desempenho/supercomputadores. Então, onde a computação quântica entra em cena?

A maioria dos fornecedores no mercado de nuvem pública tem uma oferta quântica. Em 2016, a IBM montou um computador quântico em sua nuvem. Desde então, a IBM expandiu sua oferta de computação quântica baseada em nuvem.

Para nunca ficar para trás, a Amazon desenvolveu e lançou seus próprios serviços de computação quântica, e a Microsoft anunciou o Azure Quantum, que fornece algoritmos quânticos, hardware e software. Claro, o Google também é um player quântico.

Empresas, então, deveriam entrar nessa onda? Essa decisão é realmente sobre combinar casos de uso com computação quântica de forma eficaz. Suspeito que a computação quântica não seja uma boa opção para sistemas de contabilidade ou estoque, onde o processamento é mais refinado e transacional. No entanto, às vezes é uma boa opção se as organizações desejam obter esses dados contábeis ou de inventário e construir modelos financeiros complexos que são capazes de prever o futuro.

Muitos desses casos de uso para computação de alto desempenho podem ser melhor atendidos pela computação quântica, mas não todos eles. A compensação é o custo em comparação com a computação tradicional, até mesmo a computação de alto desempenho na nuvem. A menos que haja uma razão convincente para alavancar a computação quântica para situações específicas, criadas para um propósito onde há uma vantagem clara, talvez não valha o custo e risco extra.

Além disso, encontrar pessoas de computação quântica que estejam dispostas a trabalhar fora das universidades é outro ganho para as organizações colocar a tecnologia na prática.

A computação quântica na nuvem é como qualquer nova tecnologia. Começa como uma solução de nicho, normalmente com mais custo e risco. Estamos aqui agora. Em segundo lugar, é aproveitado para uma pequena porcentagem de aplicativos e soluções de dados. Por fim, torna-se apenas mais uma oferta de serviço de nuvem pública: uma que pode ter um pouco de custo adicional, mas uma fração do que era em 2021.