Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Home  >  Negócios

Sobre o Apple Business Essentials: tenho algumas dúvidas

Apple fez barulho revelando o Business Essentials para PMEs. Embora o serviço só chegue em 2022, há muitas questões para administradores de TI

Ryan Faas, Computerworld

24/11/2021 às 16h00

Macbook
Foto: Shutter Stock

O programa Business Essentials, recém-anunciado da Apple, parece ser uma ferramenta versátil e útil para pequenas e médias empresas (PMEs). É fácil ver que a interface é derivada do Apple Business Manager, o serviço de nuvem para escritórios de TI de grandes empresas. O último é frequentemente usado em conjunto com um dos provedores de gerenciamento de mobilidade empresarial (EMM) ou gerenciamento de endpoint unificado (UEM) que usam a plataforma de gerenciamento de dispositivo móvel (MDM) da Apple.

O Apple Business Essentials está disponível agora em beta e fornece ferramentas incluindo iCloud+ for Work, AppleCare, suporte 24/7 da Apple, gerenciamento de dispositivos e aplicativos e configuração automatizada usando Collections e Smart Groups. O serviço estará disponível inicialmente nos Estados Unidos, com preços variando de US$ 2,99 por mês por usuário a US$ 12,99 por mês por usuário, dependendo do número de dispositivos e das necessidades de armazenamento.

Embora a Apple tenha exaltado o serviço como praticamente uma panaceia para empresas menores, o anúncio da empresa deixa muitas perguntas sem resposta. Aqui estão as questões que as empresas precisam ter respondidas antes de embarcarem no serviço quando ele chegar, no início de 2022.

Qual é a escalabilidade real? Não consigo ver essa escala além de 50 ou mais pessoas, e certamente não chega a 500. Talvez o número de 500 usuários que a Apple alega seja a linha divisória típica entre pequenas e médias empresas e empresas maiores. Talvez existam tecnologias de automação que tornem o dimensionamento mais fácil. Porém, independentemente de como o serviço foi projetado para ser dimensionado, o dimensionamento no mundo real pode ser bem diferente, como costuma ser o caso com novas tecnologias.

Presumindo que seja escalonável para 500 usuários, o que acontece quando você atinge o funcionário 501? Você é forçado a migrar para outra coisa? Esse usuário simplesmente não poderá fazer o login? Você tem permissão para um passe temporário ou permanente? Esse limite é puramente teórico e não uma limitação rígida?

Se for uma regra rígida e a TI precisar migrar para outro serviço, quão difícil isso será? Mesmo que seja uma regra flexível, algumas empresas vão superar a ferramenta se precisarem de mais recursos do que o Business Essentials oferece. Quais são os processos de migração/transição quando uma empresa decide que precisa de algo mais? Se tudo estiver armazenado no iCloud, como você migrará esses dados para o OneDrive, ou Workspace ou Dropbox?

Novos recursos de colaboração do iCloud chegarão? Se o iCloud for o sistema de armazenamento padrão, isso pode representar seus próprios problemas, especialmente se o padrão depende de aplicativos iWork da Apple. Simplesmente usar o iCloud e o iWork não é escalonável para mais de uma dúzia de pessoas. Não está nem no mesmo universo que o que a Microsoft e o Google oferecem.

O que acontece com as organizações multiplataforma? PCs e Chromebooks com Windows não autenticam em IDs Apple gerenciados – isso pode ser federado para Azure AD ou Workspace ou Okta ou qualquer outro provedor de identidade? O Apple Business Manager pode, mas não é um processo fácil de configurar. O AD local pode ser uma opção realista, mas mesmo isso pode estar além do escopo da simplicidade que a Apple afirma.

Qual nível ou suporte está incluído? É o AppleCare padrão ou há suporte de TI empresarial? Existe algum SLA para suporte? Você tem acesso aos engenheiros de negócios da Apple quando necessário?

Qual treinamento está disponível? Se for como as iterações mais recentes das certificações da Apple para técnicos ou equipe de helpdesk, provavelmente haverá problemas de rede e de administrador de sistemas que não serão cobertos, já que tendem a ser mais focados em solução de problemas e reparos. O Business Essentials, com base no que sabemos até agora, pode não abordar alguns dos desafios do ambiente de rede.

Qual é o objetivo do nível 1 dispositivo/usuário? A maioria dos trabalhadores do conhecimento precisará de pelo menos um iPhone e um Mac, então isso parece apenas uma maneira de dizer: “Sim, temos uma opção mais barata do que outros fornecedores de MDM”. Ou pode significar que a Apple espera que algumas empresas sejam multiplataforma e que os usuários terão um PC ou Chromebook como computador principal, em vez de um Mac. Se for esse o caso, voltamos às perguntas acima sobre questões multiplataforma.

Existe um motivo para uma organização com MDM multiplataforma já configurada para contemplar a oferta da Apple? A Apple disse que MDM e Business Essentials podem coexistir, mas vale a pena o custo se você já estiver configurado? Existe algo especial ou o objetivo das empresas sem MDM é usar o Business Essentials como um trampolim para um ambiente de MDM?

Como isso se compara a outros players, tanto os da Apple, como Jamf e Kandji, quanto opções mais amplas, como Microsoft e VMware? Como uma organização avalia o valor do que a Apple oferece e se vale a pena em comparação com os concorrentes?

Sem respostas para pelo menos algumas, senão a maioria, dessas perguntas, é difícil definir os clientes-alvo e a proposta de valor que o Business Essentials oferecerá.

Snippets HTML5 default Intervenções CW

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15