Home  >  Plataformas

Saiba como solucionar seis dores de cabeça do Windows 10

Sistema operacional mais recente da Microsoft é muito melhor do que antecessor, mas ainda tem algumas peculiaridades irritantes

Preston Gralla, da Computerworld (EUA)

25/05/2019 às 10h00

Foto: Shutterstock

O Windows 10 percorreu um longo caminho para corrigir os problemas que eram endêmicos com as versões anteriores do Windows – notavelmente o Windows 8. Mas ainda está longe de ser um sistema operacional perfeito e possui a sua cota de dores de cabeça.

Olhando por meio de várias discussões de usuários (e usando as nossas próprias experiências), identificamos seis problemas que muitas pessoas estão reclamando: atualizações forçadas do Windows 10; o assistente digital da Cortana (do qual alguns usuários querem se livrar e não podem); espaço em disco perdido; tempos de inicialização lentos; notificações irritantes; e problemas com o menu Iniciar.

Mas não se preocupe, a ajuda está a caminho. Nós pesquisamos maneiras de cuidar desses problemas (ou pelo menos torná-los um pouco menos irritantes). Aqui estão algumas soluções que tornarão o Windows 10 mais agradável de usar.

1. Contorne as atualizações forçadas do Windows 10
Vamos começar com um grandão: atualizações forçadas. Para muitas pessoas, essa é a maior dor de cabeça de todos em relação ao Windows 10. Ao contrário das versões anteriores do sistema, o Windows 10 não permite escolher quais atualizações instalar. Agora, quando a Microsoft emite uma atualização, sua máquina a instala. Caso encerrado.

Bem, quase isso. O Windows Update oferece a você algum controle sobre quando as atualizações serão instaladas, para que elas não interrompam seu trabalho. E os usuários do Windows 10 Professional, Enterprise e Education podem adiar atualizações.

Começando com o Windows 10 versão 1903, o Windows Update permitirá que os usuários do Windows 10 Home e Pro adiem a instalação de atualizações de recursos semestrais até que a sua versão atual do Windows 10 não seja mais suportada por atualizações de segurança – geralmente cerca de 18 meses depois de lançado. Além disso, os usuários do Windows Home poderão atrasar todas as atualizações em até 35 dias. Mas você não obterá essa funcionalidade até que o seu computador seja atualizado com a versão 1903.

Enquanto isso não acontece, há algumas soluções alternativas que permitem que qualquer pessoa interrompa o processo de atualização. Uma observação: como regra geral, é uma boa ideia manter o Windows 10 atualizado, pois muitas atualizações não só corrigem bugs ou adicionam novos recursos, mas também trazem patches de segurança.

No entanto, é sua máquina, seu sistema operacional e sua vida. Então, se você quiser interromper as atualizações forçadas do Windows 10, aqui estão duas maneiras de fazer isso. Também mostrarei como você pode desinstalar uma atualização já instalada e mantê-la desinstalada.

Use o recurso de conexão limitada
O recurso de conexão limitada do Windows 10 foi projetado para economizar dinheiro se você pagar pelo uso de largura de banda em um determinado período, mas é possível usá-lo como uma solução inteligente para interromper as atualizações automáticas. Por padrão, esse recurso está desativado para conexões Wi-Fi e Ethernet, mas ativado para conexões de dados celulares. Veja como ativá-lo para conexões Wi-Fi e Ethernet.

Para conexões Wi-Fi:
1. Vá para Configurações> Rede e Internet> Wi-Fi.
2. Clique em “Gerenciar redes conhecidas”.
3. Clique em qualquer rede Wi-Fi à qual você se conecta e clique em Propriedades.
4. Na tela que aparece, role até a seção “Conexão limitada” e mova o controle deslizante para Ativado.

Para conexões Ethernet:
1. Vá para Configurações> Rede e Internet> Status.
2. Clique em “Alterar propriedades da conexão”.
3. “Conexão limitada” e mova o controle deslizante para Ativado.

A partir de agora, o Windows 10 não baixará e instalará atualizações automaticamente, embora pelo menos uma pessoa tenha relatado nos fóruns AskWoody, do colega Woody Leonhard, que algumas atualizações ainda são instaladas. Você precisará seguir as instruções acima para cada rede Wi-Fi e Ethernet à qual você se conecta para interromper as atualizações.

Desativar o serviço Windows Update
O Windows Update é executado como qualquer outro serviço do Windows – o que significa que você pode desativá-lo:

1. Vá para Painel de Controle> Sistema e Segurança> Ferramentas Administrativas. Você é então enviado para uma pasta no Windows Explorer com uma lista de ferramentas administrativas, uma das quais é Serviços.
2. Clique duas vezes em Serviços.
3. No lado direito da tela que aparece, role para baixo até o Windows Update e clique duas vezes nele.
4. Na caixa Tipo de Inicialização exibida, selecione Desativado e clique em OK.
5. Reinicie seu PC.

Com isso, o serviço Windows Update não será mais executado e você não fará o download nem instalará as atualizações automaticamente. Se você pedir ao Windows 10 para verificar atualizações depois de desativar o Windows Update, receberá uma mensagem de erro.

Entramos em contato com a Microsoft várias vezes e pedimos que a empresa confirmasse se essa técnica de desativação do Windows Update funciona. A Microsoft recusou-se a confirmar ou negar isso. No entanto, usamos a técnica em vários PCs executando a versão mais recente do Windows 10 e ela funcionou em todas as instâncias. Outras fontes relataram que a técnica também funcionou..

Tenha em mente que, se você usar uma dessas soluções, bloqueará todas as atualizações do Windows. Você não pode escolher qual instalar e qual não instalar. A exceção são as atualizações de segurança. Se você está preocupado com a segurança, a técnica de conexão limitada é um pouco mais segura, porque ela permite atualizações de segurança importantes, que você provavelmente não obterá quando desativar o Windows Update.

Se você optar por desativar o Windows Update, em algum momento deverá ativá-lo novamente para obter as correções de segurança que perdeu. E, se você optar pela técnica de conexão limitada, provavelmente desejará desativá-la para obter as atualizações de recurso ou de correção de bugs. Quando isso acontecer, você baixará e instalará todas as atualizações, não apenas as que deseja.

Observe, no entanto, que ainda há um bom motivo para usar essas técnicas para desativar as atualizações automáticas, porque se você impedi-las de instalar imediatamente, poderá verificar se há relatórios sobre atualizações problemáticas. Se ninguém reclamar, você pode deixá-los instalar; se houver problemas, você pode esperar até que a correção esteja disponível.

Desinstalar e ocultar atualizações problemáticas
Se você está preso a uma atualização que está prejudicando (ou pode danificar) seu computador, há outra solução alternativa para você: desinstalar a atualização incorreta e, em seguida, ocultá-la do Windows 10 para que ela não seja reinstalada automaticamente. Dessa forma, quando a correção para a atualização aparecer, você poderá instalar todas as atualizações, incluindo a correção.

Observe que você não poderá desinstalar todas as atualizações e não poderá ocultar todas as atualizações que desinstalou. Ainda assim, vale a pena tentar se você tiver uma atualização ruim.

Você pode ver todas as atualizações que instalou acessando Configurações> Atualização e Segurança> Windows Update> Visualizar histórico de atualizações. Uma lista é exibida, dividida em cinco seções: Atualizações de Recursos, Atualizações de Qualidade, Atualizações de Driver, Atualizações de Definição e Outras Atualizações. A seção Atualizações de Recursos mostra as principais atualizações semestrais – por exemplo, a Atualização do Windows 10 de abril de 2018. Mas você não verá isso escrito em português simples. Em vez disso, você verá o número da versão que a Microsoft usa para se referir à atualização, como a versão 1809 da Atualização de outubro de 2018.

A seção Atualizações de Qualidade lista as atualizações mais comuns do Windows que corrigem bugs, melhoram a segurança e adicionam recursos menores. Atualizações de Driver mostra os drivers que foram atualizados. As Atualizações de Definições listam todas as atualizações de antivírus e antimalware da ferramenta antimalware integrada do Windows. Outras Atualizações lista várias outras atualizações, como a Ferramenta de Remoção de Software Mal-Intencionado do Windows. Clique na atualização para obter informações sobre suas atualizações. Desta forma, você pode rastrear uma atualização que está causando problemas.

Ao clicar para obter detalhes sobre uma atualização de recurso, você será direcionado para uma página repleta de dicas, vídeos e outros conteúdos sobre a atualização. Para qualidade, driver e outras atualizações, você será direcionado a uma página web com uma descrição detalhada por escrito da atualização.

Se você quiser desinstalar as atualizações de recursos (como o Windows 10, versão 1803), terá que fazer isso em até 10 dias após a instalação da atualização. Depois disso, não há nada que você possa fazer para desinstalá-la. Se você quiser desinstalá-la nesse período de 10 dias, vá para Configurações> Atualização e Segurança> Recuperação. Na seção “Voltar para a versão anterior do Windows 10”, clique no botão “Começar” e siga as instruções.

Mesmo se você quiser desinstalar a atualização dentro do período de 10 dias, a seleção “Voltar para a versão anterior do Windows 10” pode não aparecer. Se isso acontecer, você não poderá desinstalar a atualização. A causa provável do problema é que sua pasta Windows.old foi excluída. Essa pasta contém a versão anterior do Windows, portanto, se ela não estiver lá, você não poderá reverter para a versão anterior.

Para desinstalar outras atualizações, volte para a página Visualizar Histórico de Atualizações e clique em Desinstalar Atualizações. Você verá uma lista das atualizações do Windows, embora não veja todas elas. Nem todas as atualizações listadas no “Visualizar histórico de atualizações instaladas” serão exibidas na tela, permitindo que você desinstale atualizações, e não será possível desinstalar nenhuma que não apareça lá. E quando você clica em algumas atualizações que aparecem na tela de atualizações de desinstalação, o botão de desinstalação esvanece. Clique duas vezes na atualização da qual você deseja se livrar. Uma tela aparecerá perguntando se você deseja desinstalá-lo. Clique em Sim.

Em alguns casos, você pode garantir que o Windows 10 não irá reinstalar a atualização que você desinstalou, usando uma ferramenta gratuita da Microsoft para basicamente ocultá-la do Windows Update. Para fazer isso, vá até esta página de suporte da Microsoft, role para baixo e clique no link “Fazer o download do pacote solucionador de problemas ‘Mostrar ou ocultar atualizações’ agora”. Instale o download, clique em Avançar e siga as instruções para ocultar a atualização que você não deseja reinstalar.

2. Mate a Cortana
Nem todo mundo é fã da Cortana, a assistente digital às vezes insistente da Microsoft. Antes da Atualização do Aniversário do Windows 10 ser lançada em agosto de 2016, isso não era necessariamente um problema, porque era fácil desativar a Cortana. Tudo o que você precisava fazer era abrir a assistente, selecionar Configurações, procurar a configuração “a Cortana pode fornecer sugestões, ideias, lembretes, alertas e muito mais” e mover o controle deslizante para Desativado. Mas a Atualização de Aniversário removeu essa opção.

Você ainda pode desligar a Cortana. Se você usar qualquer versão do Windows 10 diferente da versão Home, poderá usar o Editor de Política de Grupo para fazer isso. Inicie o Editor de Política de Grupo digitando gpedit.msc na caixa de pesquisa. Em seguida, navegue até Configuração do Computador> Modelos Administrativos> Componentes do Windows> Pesquisa> Permitir Cortana. Defina como “Desativado”.

Se você usa o Windows 10 Home, precisará se comportar de maneira desonesta com o Registro do Windows. Como sempre, quando você estiver lidando com o registro, tenha cuidado ao editá-lo – você pode causar grandes danos ao seu sistema operacional se alterar a configuração errada. Também é uma boa ideia criar um Ponto de Restauração do Sistema antes de editar o Registro para que você possa trazer seu sistema de volta ao estado em que se encontrava antes da edição.

Com todas essas ressalvas, veja abaixo como matar a Cortana através do Registro:

1. Digite regedit na caixa Pesquisar e pressione Enter para executar o Editor do Registro.
2. Vá para a chave HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Policies\Microsoft\Windows\Windows Search. Se você não tiver essa chave no seu sistema, terá que criá-la. Para fazer isso, clique com o botão direito do mouse na pasta Windows e selecione Novo> Chave. Uma chave será criada automaticamente com um nome padrão, como Nova Chave #1. Nomeie-o Windows Search simplesmente digitando o novo nome da chave. Se por algum motivo o nome da chave não estiver realçado com um cursor dentro dele, clique com o botão direito do mouse, selecione Renomear e digite o nome da chave que você deseja.
3. Clique com o botão direito do mouse na chave Windows Search e selecione Novo> Valor DWORD (32 bits).
4. Nomeie o valor AllowCortana.
5. Clique duas vezes em AllowCortana e defina seu valor como 0.
6. Feche o Editor do Registro. Saia e faça login novamente, ou então reinicie o PC para que a alteração entre em vigor.

Para ligar a Cortana novamente, exclua o valor de AllowCortana ou defina-o como 1.
Tenha em mente que, se você desativou a Cortana para proteger sua privacidade, impedindo a assistente de coletar dados sobre você, ainda há trabalho a fazer. Isso porque as informações que a Cortana já coletou sobre você permanecem na nuvem. Se quiser excluir parte ou tudo isso, veja o que fazer:

Vá até a seção Notebook da Cortana, no Painel de Privacidade da Microsoft. Você verá uma variedade de conteúdo pessoal, que inclui informações sobre finanças, voos, notícias, esportes e muito mais. Clique em qualquer tipo de conteúdo e siga as instruções para excluí-lo. Se quiser excluir todos os dados que a Cortana coletou sobre você, clique em “Limpar dados da Cortana” no lado direito da tela.

3. Resolva as angústias do menu Iniciar
Quando foi anunciado pela primeira vez que o Windows 10 iria restabelecer o menu Iniciar, muitos usuários receberam bem a notícia. Mas depois que o sistema foi lançado, algumas pessoas começaram a reclamar sobre problemas com o recurso – ele não executava quando se clicava no botão Iniciar ou congelava, ou entradas aleatórias apareciam ou desapareciam. Se você tem problemas no menu Iniciar, não tenha medo; há várias maneiras de tentar corrigi-lo.

Nota: Antes de tentar qualquer uma dessas técnicas, primeiro reinicie seu computador. Às vezes, uma simples reinicialização conserta as coisas.

Verifique atualizações
Há uma chance de que uma atualização do Windows resolva o problema – a Microsoft continuamente elimina erros em suas atualizações. Para garantir que você tenha todas as atualizações mais recentes do Windows, vá para Configurações> Atualizações e segurança> Windows Update e selecione “Verificar atualizações”. Se encontrar alguma, instale-a. Pode ser necessário reiniciar o PC para que a atualização entre em vigor.

Use o PowerShell para corrigir arquivos corrompidos
Se o menu Iniciar ainda estiver com problemas, o problema pode estar nos arquivos corrompidos. Você pode usar uma ferramenta de linha de comando chamada PowerShell incorporada ao Windows para localizá-los e corrigi-los:

Digite powershell na caixa de pesquisa do Windows, clique com o botão direito do mouse em Windows PowerShell nos resultados da pesquisa e selecione “Executar como administrador”. Isso abrirá o PowerShell.

Se, por algum motivo, a caixa de pesquisa não estiver funcionando, pressione a tecla Windows + R no teclado, digite PowerShell e pressione Enter. Isso executa o PowerShell, mas não a conta do administrador, que você precisa usar. Isso leva mais algumas etapas: clique com o botão direito do mouse no ícone do PowerShell na barra de tarefas e selecione “Fixar na barra de tarefas”. Em seguida, feche o PowerShell. Agora clique com o botão direito do mouse no ícone do PowerShell na barra de tarefas e selecione “Executar como administrador”.

Depois de executar o PowerShell como administrador, digite sfc /scannow e pressione Enter. O PowerShell examinará seu sistema em busca de arquivos corrompidos. Isso pode levar um tempo.

Quando o PowerShell concluir a verificação do sistema, ele informará que localizou e corrigiu arquivos corrompidos, localizou arquivos corrompidos, mas não conseguiu corrigi-los ou não encontrou arquivos corrompidos. Se encontrar arquivos corrompidos, mas não puder corrigi-los, digite o comando dism /online /cleanup-image /restorehealth e pressione Enter. Isso deve resolver o problema.

Crie uma nova conta de administrador local ou redefina seu PC
Se nada disso funcionar, a Microsoft tem alguns conselhos de última hora: crie uma conta de administrador local e, se o menu Iniciar funcionar nessa conta, mova todos os seus arquivos e configurações para ela; ou redefina seu PC com as opções de recuperação do Windows 10.

4. Recupere o espaço de armazenamento perdido
O Windows 10 pode ser chato com o seu HD (disco rígido), especialmente se você tiver atualizado para ele a partir de uma versão anterior do Windows ou após uma atualização importante do Windows 10. Isso porque, ao atualizar ou instalar um update importante, o Windows 10 mantém a versão anterior do sistema operacional, caso você queira reverter para ela.

Mas essa versão do sistema operacional antigo está ocupando vários gigabytes de espaço de armazenamento. Se você tem um PC com muito espaço de armazenamento, não há razão para se preocupar. Mas se você estiver no limite para armazenamento, pode ser um problema sério.

Por exemplo, eu tenho um laptop HP Stream com 32 GB de armazenamento e, quando tentei atualizar para a versão mais recente do Windows 10, não consegui fazê-lo – minha versão antiga do Windows ocupava muito espaço, e a nova versão do Windows não poderia ser instalada.

Se tiver certeza de que não vai querer reverter para a sua versão antiga do Windows, você pode excluí-la facilmente. Ela é armazenada em uma pasta chamada Windows.old que você encontrará na pasta /Windows. Em vez de excluí-la manualmente, use a ferramenta Limpeza de Disco:

1. Execute a ferramenta digitando Limpeza de Disco na barra de pesquisa e clicando no resultado da pesquisa Limpeza de Disco que aparece. A ferramenta levará alguns minutos para examinar seu sistema.
2. Quando a limpeza de disco terminar, role para baixo a lista de arquivos que você pode limpar e marque a caixa ao lado de “Instalação(ões) anterior(es) do Windows”. Essa entrada só aparecerá se você tiver uma instalação anterior do Windows no disco rígido.
3. Clique em OK.
A versão antiga do Windows será excluída e você recuperará seu espaço no disco rígido.
5. Acelerar o boot do Windows

A partir do momento em que o Windows 10 foi lançado, as pessoas começaram a reclamar que os tempos de inicialização eram mais lentos que nas versões anteriores do Windows. Se você está sendo incomodado por uma inicialização letárgica do Windows 10, aqui estão duas maneiras de acelerá-la:

5-Ative a inicialização rápida do sistema
O Windows 10 possui um recurso chamado Inicialização Rápida, que combina um desligamento normal com o recurso de hibernação do Windows.

Com a Inicialização Rápida, quando você encerra seu PC, ela fecha os seus aplicativos e desconecta todos os usuários, mas carrega o kernel e os drivers do Windows em um arquivo de hibernação no disco rígido. Então, quando você reinicia seu PC, o Windows carrega o kernel e os drivers do arquivo de hibernação, acelerando o processo de inicialização.

A inicialização rápida pode já estar ativada em seu PC. Veja como verificar isso, e o que fazer caso não esteja:

1. Clique com o botão direito do mouse no botão Iniciar e selecione Opções de Energia no menu exibido.
2. Clique em “Configurações de energia adicionais”.
3. Clique em “Escolher a função do botão de energia”.
4. Procure na seção “Configurações de desligamento” da tela que aparece. Se houver um sinal verificado ao lado de “Ativar a inicialização rápida (recomendado)”, não será necessário fazer mais nada.
5. Se não houver um sinal de verificado ao lado, clique em “Alterar Configurações que estão indisponíveis no momento”.
6. Marque a caixa ao lado “Ativar inicialização rápida (recomendada)” e clique em Salvar alterações.
Isso é tudo que é preciso. Observe que, em algumas máquinas, a inicialização rápida não está ativada. Se esse for o seu caso, você não verá a entrada “Ativar inicialização rápida (recomendada)”.

Use o Gerenciador de Tarefas para acelerar a inicialização
O Gerenciador de Tarefas do Windows 10 é uma ótima ferramenta para gerenciar a inicialização do seu PC. Com ele, você pode desativar os programas que são executados na inicialização:

1. Clique com o botão direito do mouse na barra de tarefas e selecione Gerenciador de Tarefas.
2. Se o Gerenciador de Tarefas for executado como uma pequena janela e mostrar apenas os aplicativos atualmente em execução no sistema, clique no link “Mais detalhes” na parte inferior da tela. Isso abre uma janela expandida, com várias guias na parte superior da tela.
3. Clique na guia Inicialização. Ele lista todos os aplicativos que são executados na inicialização.
4. Clique com o botão direito em cada aplicativo que você não deseja executar na inicialização e selecione Desativar. Você ainda será capaz de executar o programa, lançando-o da maneira usual – ele só não será executado na inicialização.

Algumas dicas adicionais: para ajudar a decidir quais programas serão desativados, consulte a coluna “Impacto de inicialização”. Isso mostra se o programa não tem impacto no tempo de inicialização, possui baixo impacto, impacto médio ou alto impacto.

Muitos dos programas da lista podem não ser familiares e você não terá certeza se deseja desativá-los ou não. Clique com o botão direito em qualquer um que você não reconheça e selecione “Pesquisar on-line”. Isso iniciará uma pesquisa sobre o nome do arquivo. Percorra os resultados; eles geralmente informam exatamente o que o programa faz e o ajudam a decidir se ele deve ser executado na inicialização.

Você também pode clicar com o botão direito do mouse em qualquer programa da lista e selecionar “Abrir local do arquivo”. Isso abrirá o Windows Explorer para a pasta onde o arquivo .exe do programa está localizado. Essa é outra dica para o propósito do programa e se deseja desativar um programa que é executado na inicialização.

6. Desligue as notificações irritantes
A Central de Ações do Windows 10 envia notificações sobre seu e-mail, redes sociais, atualizações de software, mensagens do sistema e muito mais. Isso pode ser útil ou intensamente irritante, dependendo da sua personalidade e de quantas notificações você recebe.

No entanto, existe uma maneira fácil de desativar as notificações de aplicativo por aplicativo ou interrompê-las de uma só vez:

1. Vá para Configurações> Sistema> Notificações e ações.
2. Você verá cinco tipos de notificações que podem ser desativadas: notificações que aparecem na tela de bloqueio, lembretes e chamadas VoIP recebidas que aparecem na tela de bloqueio, dicas de “experiência de boas-vindas do Windows” que aparecem após as atualizações e ocasionalmente quando você faz o logon, dicas e truques que aparecem quando você usa o Windows, e as notificações de aplicativos e outros remetentes.
3. Desative todos os tipos de notificações deslizando o botão ao lado deles para Desativado. Os dois tipos mais persistentes são os de aplicativos e outros remetentes e as dicas e truques do Windows, portanto, considere desativá-los.
4. Se você quiser manter algumas notificações de apps e outros remetentes, mas não dos demais, não ative o controle deslizante para Desativado. Em vez disso, vá para a seção “Receber notificações destes remetentes” abaixo e mova o controle deslizante para Desativado para todos os aplicativos e serviços dos quais você não deseja receber notificações.

Este artigo foi originalmente publicado em março de 2017 e atualizado mais recentemente em abril de 2019.