Home  >  Plataformas

Mais de 700 mil apps foram removidos da Google Play em 2020 por violação de políticas

No mesmo período, Google encerrou as contas de 119 mil desenvolvedores mal-intencionados ou que praticavam spam na plataforma

Redação

23/04/2021 às 10h37

Google Play aplicativos smartphone
Foto:

Legenda: Adobe Stock

Mais de 709 mil aplicativos foram removidos da Google Play em 2020 por violação de políticas, revelou o Google nesta semana. O número é resultado de novas políticas de segurança que foram implementadas pela organização no ano passado com o objetivo de aumentar níveis de segurança para usuários e desenvolvedores legítimos, e combater aplicativos e desenvolvedores mal-intencionados.

Além das exclusões de apps, 119 mil contas de desenvolvedores mal-intencionados ou que praticavam spam foram excluídas no período. Mais de 962 mil apps em desacordo com as regras da Google Play também foram identificados utilizando modelos de aprendizado de máquina e, assim, impedidos de compor a loja de apps do Android.

No total, a plataforma Google Play Protect escaneou mais de 100 bilhões de aplicativos em busca de malwares.

Ao longo de 2020, o Google adotou uma série de políticas e novas formas de suporte a desenvolvedores com o objetivo de aprimorar a qualidade das informações disponíveis na plataforma e reduzir o risco de prejudicar usuários com informações equivocadas ou enganosas.

Em fevereiro, houve o anúncio de uma nova política de localização em segundo plano para garantir que os aplicativos que solicitam essa permissão precisem justificar melhor o uso dos dados para fornecer um benefício claro ao usuário. Caso os desenvolvedores não demonstrem esse benefício, os apps podem ser removidos da loja.

Políticas específicas para aplicativos relativos a temas como a pandemia da Covid-19, notícias e eleições também foram criadas, na tentativa de reduzir a possibilidade de fraudes através de apps mal-intencionados.

Para aplicativos relativos à Covid-19, a companhia passou a exigir que estes apps, incluindo aqueles com informações sobre testes, fossem desenvolvidos por órgãos oficiais do governo ou por organizações do setor de saúde.

Também foram adotadas exigências mínimas para que aplicativos sejam classificados na categoria "Notícias" do Google Play. São regras que ajudam a promover maior transparência e responsabilidade entre os desenvolvedores ao fornecer informações relevantes sobre o app aos usuários.

Por fim, a empresa formou equipes e processos na Google Play dedicados a eleições. O objetivo da iniciativa foi facilitar a adaptação a um cenário em constante mudança, e inclui mais apoio a órgãos do governo, pessoas treinadas especialmente para avaliar os aplicativos e um grupo de segurança para enfrentar situações de ameaça e abuso ao sistema eleitoral.