Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Home  >  Inovação

Departamento de Energia dos EUA adota AMD para supercomputador do Laboratório Nacional de Argonne

Novo supercomputador Polaris, do Laboratório Nacional de Argonne, otimizará atividades de Inteligência Artificial, engenharia e projetos científicos

Rafael Romer

30/08/2021 às 19h31

AMD
Foto:

Legenda: Divulgação/AMD

O Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) escolheu processadores de servidor AMD Epyc para alimentar o Polaris, novo supercomputador do Laboratório Nacional de Argonne. Segundo a companhia, o Polaris foi construído pela Hewlett Packard Enterprise (HPE) usando processadores Epyc de 2ª Geração – que serão atualizados para 3ª Geração.

A estrutura permitirá que cientistas e desenvolvedores testem códigos e aplicativos para lidar com uma variedade de tarefas de IA, engenharia e projetos científicos. O Polaris também irá preparar pesquisadores para o futuro supercomputador exascale em Argonne, chamado Aurora.

Segundo Forrest Norrod, vice-presidente sênior e gerente geral de Datacenter da AMD, os processadores oferecem os recursos necessários para os problemas complexos em que a computação pré-exascale e exascale atuarão.

“Estamos extremamente orgulhosos de apoiar o Laboratório Nacional de Argonne e suas pesquisas em áreas como tecnologias de baixo carbono, medicina, astronomia, energia solar e muito mais, à medida que nos aproximamos da era exascale”, afirmou.

O supercomputador Polaris usará os processadores AMD Epyc 7532 e Epyc 7543. GPUs Nvidia A100 Tensor Core também serão utilizadas. No total, a estruturá terá aproximadamente 44 petaflops de desempenho de precisão de pico duplo. De acordo com a companhia, isso é quatro vezes mais rápido do que os atuais servidores da Argonne.

Futuros projetos

Inicialmente, o Polaris será usado por equipes de pesquisa de iniciativas como o Projeto de Computação Exascale e o Early Science Program, da ALCF.

Comunidades de usuários usarão Polaris para otimizar tarefas de engenharia para o futuro supercomputador exascale de Argonne, que inclui escalonamento de sistemas combinados de CPU e GPU e a integração de fluxos de trabalho combinando modelagem, simulação, IA e outros componentes de dados intensivos.

Polaris está programado para ser entregue e instalado em agosto de 2021 e entrará em uso no início de 2022. A comunidade HPC poderá acessar o sistema a partir da primavera de 2022.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15