Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Home  >  Negócios

Chrome aposentará API Manifest V2 e extensões falharão a partir de janeiro

Desenvolvedores de extensão questionam a mudança enquanto tentam se adaptar às regras V3 do Google

Rafael Romer

29/09/2021 às 20h00

Chrome
Foto: Reprodução/Pixabay

Legenda: Reprodução/Pixabay

A partir de janeiro, as novas extensões V2 do Chrome, escritas de acordo com a especificação Manifest V2, não serão mais aceitas na Chrome Web Store. Embora as extensões V2 existentes possam ser atualizadas, em janeiro de 2023 o Chrome não executará mais extensões Manifest V2 e nenhuma atualização para extensões V2 será permitida, de acordo com publicação do site The Register.

As informações postadas em um blog por David Li, gerente de produto para Extensões do Chrome e Chrome Web Store, preocupam críticos que temem que a mudança atrapalhe os add-ons.

"Anos em construção, o Manifest V3 é mais seguro, tem desempenho e preserva a privacidade do que seu antecessor", disse Li. "É uma evolução da plataforma de extensão que leva em consideração as mudanças no cenário da web e o futuro das extensões de navegador".

Segundo Li, as novas extensões do Manifest V2 não serão mais aceitas na Chrome Web Store a partir de 17 de janeiro de 2022.

A Chocolate Factory começou a trabalhar no Manifest V3, um conjunto revisado de APIs disponível para desenvolvedores de extensão em 2018, para tratar de questões de segurança e desempenho. A especificação de extensão legada, Manifest V2, fornecia poderes que, embora úteis para desenvolvedores legítimos, também eram facilmente mal utilizados para criar malware, diz a publicação do The Register.

No início de 2019, Raymond Hill, desenvolvedor da extensão de bloqueio de conteúdo uBlock Origin, tomou nota da mudança planejada da API e avisou que o Manifest V3, como o Google o descreveu, quebraria o uBlock Origin.

Assim como Hill, outros desenvolvedores de extensões populares de bloqueio de conteúdo e privacidade perceberam que teriam que revisar suas extensões para caber no Manifest V3 e talvez repensar a funcionalidade.

O Google disse aos seus investidores que o bloqueio de anúncios representava ameaça potencial à sua receita, o que levou muitos a presumirem que havia segundas intenções para desenvolver o Manifest V3, segundo o The Register.

No entanto, ao enfrentar uma reação de desenvolvedores e organizações como a EFF, o Google tentou reprimir o descontentamento em junho de 2019, insistindo que seu objetivo com o Manifest V3 era ajudar os desenvolvedores a criar bloqueadores de anúncios melhores.

Mas o discurso não convenceu.

Em julho de 2019, Alexei Miagkov, Jeremy Gillula e Bennett Cyphers publicaram uma postagem no blog da EFF que desafiava as afirmações do Google sobre os benefícios de segurança do Manifest V3, chamando-o de "um instrumento contundente que pouco fará para melhorar a segurança e, ao mesmo tempo, limitará severamente inovação futura”.

A EFF faz uma extensão para bloquear o rastreamento on-line chamada Privacy Badger que conta com poderosos Manifest V2 APIs, como a versão de bloqueio do webRequest, que permite a interceptação e alteração dos dados da rede antes de sua exibição no navegador, diz a publicação.

Miagkov, Gillula e Cyphers argumentaram que se o Google realmente deseja melhorar a segurança de sua Chrome Web Store, deve "começar a aplicar as políticas existentes da Chrome Web Store".

Os desenvolvedores de extensão estão tentando se adaptar às regras V3 do Google, mas ainda há incerteza sobre se isso será possível para todas as extensões afetadas, destaca a publicação.

"Resumo, a última versão do declarativeNetRequest, conforme a documentação, ainda quebra a filtragem dinâmica no uBO, devido à incapacidade de implementar o conceito noop", escreveu Hill, em julho, em uma postagem do GitHub Issues para o uBlock Origin.

Uma de suas principais preocupações é que ainda não há uma maneira de atualizar as listas de filtros com novos padrões de bloqueio sem republicar a extensão inteira. Em outras palavras, diz o The Register, os profissionais de marketing serão capazes de alterar a apresentação de seus anúncios para evitar a intervenção baseada em extensões, mas as extensões não serão capazes de responder imediatamente.

Além disso, em um fórum, desenvolvedores do Chromium Extensions afirmaram que ainda existem problemas técnicos não resolvidos com a V3.

No entanto, com a Microsoft, Mozilla e até mesmo a Apple agora apoiando o Manifest V3, um W3C WebExtensions Community Group (WECG) foi formado em junho, onde os desenvolvedores podem defender a melhoria das extensões da web, ainda que não haja garantia de que as reclamações alterem os planos V3 do Google.

Li, em sua postagem no blog, observou o interesse do Google em trabalhar com outros fabricantes de navegadores por meio do WECG e prometeu mais melhorias para o V3.

Com informações de The Register

Snippets HTML5 default Intervenções CW

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15