Home  >  Plataformas

Apple e Samsung ampliam liderança como principais compradoras de semicondutores em 2020

Huawei manteve a terceira posição em 2020, mas teve dificuldade para comprar semicondutores avançados, segundo o Gartner

Da Redação

10/02/2021 às 9h14

Foto: Adobe Stock

Impulsionados pela pandemia de Covid-19 e os conflitos políticos entre Estados Unidos e China, as 10 principais fabricantes de equipamento original (OEMs) aumentaram seus gastos com semicondutores em 10%, em 2020. Juntos, elas representaram 42% do mercado total, ante 40,9% em 2019, de acordo com relatório preliminar do Gartner.

As 10 principais empresas em 2020 permaneceram as mesmas de 2019. A Apple permaneceu como a maior compradora de chips semicondutores em 2020, representando 11,9% do mercado mundial total.

“Dois fatores principais impactaram os gastos dos principais OEMs em semicondutores em 2020, a pandemia de Covid-19 e o conflito político entre os EUA e a China”, disse Masatsune Yamaji, Diretor de Pesquisas do Gartner. “A pandemia enfraqueceu a demanda por smartphones 5G e interrompeu a produção de veículos, mas impulsionou a demanda por PCs móveis e videogames, bem como o investimento em data centers em nuvem até 2020. Além disso, um aumento nos preços de memória em 2020 resultou em aumento de OEM gastos com chip ao longo do ano”.

Embora tenha se mantido em terceiro lugar no ranking, a Huawei diminuiu significativamente seus gastos com semicondutores ano passado, 23,5% abaixo de 2019.

“O governo dos EUA aumentou as restrições comerciais à Huawei em 2020, limitando sua capacidade de comprar semicondutores, o que, por sua vez, limitou o fornecimento de smartphones e reduziu sua participação no mercado. No entanto, o mercado chinês continua importante para os fornecedores de semicondutores, já que outros OEMs de smartphones chineses entraram em ação para preencher o vácuo criado pela Huawei no segundo semestre de 2020”, disse Yamaji.

A Apple manteve sua posição como o cliente de semicondutor nº 1 global em 2020, com crescimento de 24% em relação a 2019. Segundo o Gartner, o crescimento se deu, principalmente, devido ao sucesso contínuo dos AirPods, à demanda especial por computadores Mac e iPads e ao aumento do consumo de flash NAND.

“O aumento da demanda por PCs e tablets móveis devido ao trabalho remoto impulsionou significativamente a produção de Macs e iPads até 2020”, disse Yamaji. “A empresa também iniciou sua transição para o silício da Apple em sua linha de produtos Mac no segundo semestre de 2020”.

A Samsung Electronics permaneceu na segunda posição e aumentou seus gastos em 20,4% em 2020, devido ao enfraquecimento da concorrência da Huawei e à forte demanda por unidades de estado sólido (SSDs) empresariais para data centers. A empresa se beneficiou de tendências, como trabalhar em casa e e-learning, que impulsionaram a demanda por PCs e servidores em nuvem nos quais muitos SSDs da Samsung são usados.

Entre as 10 principais empresas, a Xiaomi foi a que mais aumentou seus gastos (26%) em 2020.

“O negócio de smartphones da Xiaomi foi minimamente impactado devido ao seu modelo de vendas orientado principalmente por canais on-line durante a pandemia. As sanções contra a Huawei permitiram que a Xiaomi ganhasse mais participação no mercado de smartphones. O forte sucesso da Xiaomi em uma ampla variedade de dispositivos IoT de consumo, incluindo TVs inteligentes, vestíveis e eletrodomésticos inteligentes, também aumentou seus gastos com semicondutores em 2020”, disse Yamaji.