Home  >  Plataformas

A hiperconvergência pode dar errado?

Hiperconvergência tem potencial para cumprir o seu papel de agrupar serviços e unificar o gerenciamento do ambiente digital de uma companhia

Por Jane Greco*

14/04/2021 às 18h03

Foto: Adobe Stock

Sim. A hiperconvergência pode não ser uma boa opção para o seu negócio. Mas apenas se o profissional ou a área responsável pela contratação do serviço não se dedicar a encontrar um parceiro especializado no projeto. É fundamental que esse fornecedor de infraestrutura hiperconvergente apresente uma equipe capacitada, garanta um atendimento consultivo, tenha expertise quanto às tecnologias mais adequadas a essa ação de simplificar a operação de TI e que, tão indispensável quanto, saiba onde e quando aplicar esse tipo de solução.

Desde que implementada com boas práticas, de maneira planejada e com as tecnologias apropriadas, a hiperconvergência tem potencial para cumprir o seu papel de agrupar serviços e unificar o gerenciamento do ambiente digital de uma companhia, eliminando silos tradicionais de armazenamento e computação. Além disso, com esse total controle do seu parque tecnológico, a organização tende a desfrutar de benefícios em seis importantes desafios:

Resolução de problemas

Com a centralização oferecida pelo conceito de hiperconvergência, tem-se todo o parque tecnológico da organização à mão. Na prática, isso quer dizer que, diante de uma ameaça ou incidente - de origem interna ou externa -, tem-se mais chance de solucionar o desafio com agilidade e assertividade.

Escalabilidade

A infraestrutura hiperconvergente diferencia-se também pela sua escalabilidade. Ou seja, permite que, a qualquer momento, o parque tecnológico da organização tenha arquivos expandidos ou adquira novas funcionalidades ou novos componentes. Assim, garante-se o total alinhamento com os movimentos do mercado e as necessidades do negócio, com praticidade, agilidade e dinamismo.

Desempenho

Graças à tecnologia moderna e à gestão centralizada de uma infraestrutura hiperconvergente, o tempo de resposta das aplicações aumenta de maneira considerável. Além disso, o parque tecnológico se mantém o mais longe possível de eventuais instabilidades e downtime. Tudo isso se traduz no aumento do desempenho do ambiente digital e, consequentemente, da equipe que dele depende.

Segurança

Toda solução eficiente de hiperconvergência oferece criptografia e backup dos dados, além de controle de acesso e plano estratégico para recuperação de desastres. Essas precauções, além de protegerem as informações do negócio, ajudam a organização a estar em compliance com as regras da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Upgrade

Na aquisição de novos componentes ou diante da necessidade de atualização ou reparo dos já existentes, o ambiente não é penalizado com a paralisação ou a perda de performance da operação. Tudo pode ser ajustado em questão de minutos, paralelamente à operação.

Custos

Com redução de equipamentos físicos e complexidade do ambiente digital, a empresa tende a gastar menos com energia elétrica e manutenção e atualização das máquinas. Além disso, libera-se espaço físico na companhia, enquanto os profissionais de TI tendem a ficar com mais tempo livre para focar em demandas puramente estratégicas para o negócio.

Resiliência, segurança e alta performance são muito do que as organizações precisam para se manterem competitivas. Por isso, é fundamental que os líderes tenham estratégia na escolha das forças de defesa que estarão ao seu lado nessa jornada, sejam elas pessoas ou tecnologias.

*Jane Greco é diretora na MPE Soluções