Home  >  Negócios

Suécia impede Huawei e ZTE de terem acesso à rede 5G do país

Gigantes de tecnologia chinesas deverão ser bloqueadas da infraestrutura existente no país até janeiro de 2025

Da Redação

21/10/2020 às 11h00

Foto: Adobe Stock

A Suécia se juntou a outros países europeus no movimento de boicote a empresas de tecnologia chinesas. A Autoridade Sueca de Correios e Telecomunicações disse nesta terça-feira (20) que empresas como as chinesas Huawei e a ZTE devem ser bloqueadas da infraestrutura existente até janeiro de 2025. O governo sueco impediu que as duas empresas obtivessem acesso à sua rede sem fio de quinta geração.

De acordo com o site de notícias Bloomberg, a Autoridade disse em uma declaração na terça-feira que "a influência do Estado de partido único da China sobre o setor privada do país traz consigo fortes incentivos para que as empresas privadas ajam de acordo com os objetivos do Estado e as estratégias nacionais do Partido Comunista".

Junto com os Estados Unidos, que descreveram a Huawei, maior empresa de tecnologia da China, como a "espinha dorsal" dos esforços de vigilância do partido comunista chinês, países europeus têm entrado na onda de boicote às grandes empresas chinesas sob o argumento de “ameaça à segurança”.

O governo norte-americano tem pressionando os governos europeus a impedir que a Huawei tenha acesso às redes 5G. O Reino Unido já impôs uma proibição total ao equipamento 5G da Huawei, enquanto a chanceler alemã, Angela Merkel, até agora hesitou em seguir o exemplo, diz a publicação.

Tanto a ZTE quanto a Huawei serão excluídas dos planos da Índia de lançar suas redes 5G.

A Huawei ajudou a construir redes 5G em mais de 10 países e esperava-se que fizesse o mesmo em outros 20 este ano, de acordo com a reportagem. Com as medidas restritivas impostas pelos EUA e alguns países da Europa, os clientes da Huawei começaram a mudar para outros fornecedores.

A ZTE, muito menor da Huawei, quase entrou em colapso depois que o
Departamento de Comércio dos EUA a proibiu de comprar tecnologia
americana por três meses em 2018, diz o site.

Com isso, as concorrentes locais passaram a ganhar os clientes que foram impedidos de continuar fazendo negócios com as empresas chinesas. A finlandesa Nokia e a sueca Ericsson foram as principais beneficiárias da proibição do uso de equipamentos Huawei, diz a publicação.

As duas empresas estão formando um duopólio efetivo de equipamentos 5G. No Reino Unido, muitas operadoras agora precisam trocar algumas de suas tecnologias Huawei 4G por equipamentos Nokia e Ericsson antes de instalar o 5G, segundo o site.

No entanto, a Suécia deve fornecer condições de negócios abertas e
não discriminatórias para as empresas chinesas com base nas regras de
mercado, disse a Embaixada da China na Suécia em um comunicado.

Um porta-voz da Huawei não respondeu imediatamente a um pedido de comentário do site Bloomberg. No entanto, a gigante de tecnologia chinesa, anteriormente, negou ser uma ameaça à segurança. Já as autoridades chinesas rotularam as proibições dos governos europeus como "interferência grosseira".

A segunda maior empresa de telecomunicações da Suécia, Tele2 AB, usou Huawei para seu equipamento 4G e observou em sua teleconferência de resultados na terça-feira que a empresa chinesa estava "fazendo um ótimo trabalho", mas havia planejado a possibilidade de uma proibição.