Home  >  Negócios

Remessas mundiais de PCs aumentaram 32% em 2021, diz Gartner

Mercado de PCs registra, no primeiro trimestre, crescimento mais rápido ano após ano em duas décadas

Redação

22/04/2021 às 17h53

Homem usando notebook
Foto:

Legenda: Adobe Stock

As remessas mundiais de PCs totalizaram 69,9 milhões de unidades no primeiro trimestre de 2021, aponta pesquisa do Gartner revelada nesta quinta-feira (22).  O valor representa um aumento de 32% em relação ao primeiro trimestre de 2020.

Segundo a empresa de consultoria e pesquisa, a análise indica que o mercado se recuperou de um primeiro trimestre fraco no ano passado para registrar o maior crescimento desde que o Gartner começou a monitorar o mercado de PCs, em 2000.

“Esse crescimento deve ser visto no contexto de dois fatores únicos: o fato de ser uma comparação direta com um ano em que vivemos em um mercado restrito por conta da pandemia e por termos uma escassez global de semicondutores”, diz Mikako Kitagawa, diretora de pesquisa do Gartner.

“Sem o caos de remessas em 2020, o crescimento deste trimestre poderia ter sido menor. No entanto, a escassez de semicondutores está afetando adversamente a cadeia de suprimentos mais uma vez, com o tempo de entrega de alguns PCs se estendendo por até quatro meses”, completa.

Segundo a analista, embora isso possa levar a uma redução no número de remessas, é possível concluir que a demanda por PCs pode permanecer forte mesmo após as restrições para ficar em casa. “Seguindo em frente, os vendedores e fornecedores certamente equilibrarão a necessidade de atender à demanda subjacente sem criar estoque em excesso”, pontua.

Embora o Gartner não inclua Chromebooks na pesquisa do mercado de PC tradicionais, as remessas de Chromebooks aumentaram três dígitos no primeiro trimestre de 2021, em comparação com um ano atrás, tendo crescimento impulsionado principalmente por investimentos entre instituições educacionais na América do Norte. Incluindo os Chromebooks, o mercado mundial total de PCs cresceu 47% na base de ano a ano.

Os três principais fornecedores no mercado mundial de PCs permaneceram inalterados em relação ao trimestre anterior, com a Lenovo mantendo a primeira posição no número de remessas. Todos os seis principais fornecedores tiveram um crescimento de dois dígitos e todos, exceto a Dell, ganharam participação de mercado em comparação ao primeiro trimestre de 2020.

A Lenovo registrou um crescimento de 42,3% entre o primeiro trimestre de 2021 e o mesmo período de 2020, tendo o maior índice entre os seis principais fornecedores. Em contraste com a HP e a Dell, a Lenovo aumentou as remessas de desktops, em grande parte devido à alta demanda na China.

A Lenovo cresceu mais rápido do que a média regional em todas as principais regiões, com crescimento particularmente forte na Ásia-Pacífico (63,7%). A empresa também pareceu estar mais no controle de sua cadeia de suprimentos, já que uma porcentagem maior de seus PCs é fabricada internamente (diferentemente de outros fornecedores).

Após dois trimestres consecutivos de queda, a HP atingiu um forte crescimento ano a ano, de 34,6%. A HP continuou a ganhar força na América Latina, registrando mais de 60% de crescimento ano a ano na região. No entanto, deve-se notar que o forte crescimento da HP é atribuído em parte a um declínio significativo no 1T20, já que a HP foi a mais atingida pela interrupção da cadeia de suprimentos entre os três principais fornecedores da época.

A Dell experimentou o crescimento mais lento entre os seis principais fornecedores, em grande parte devido ao foco da empresa no mercado de PCs corporativos, que não teve tanto crescimento quanto o robusto mercado de PCs para consumidores. Em vista da escassez de componentes e do aumento dos custos de frete, a empresa também se afastou dos produtos de consumo de baixa margem mais do que nunca.

Tags