Home  >  Negócios

Poderia o Nvidia Omniverse tornar os aplicativos de videoconferência de hoje obsoletos?

Todos se acostumaram com videoconferência que transformam todos em quadrados em uma tela, mas existem maneiras melhores de se fazer networking

Rob Enderle, da Computerworld

07/06/2021 às 9h30

Foto:

Esta semana, Jensen Huang, CEO da Nvidia, se reuniu com um grupo de analistas para falar sobre seus anúncios da Computex, que não foram tão dignos de nota quanto ao que ele disse no final de sua apresentação. Jensen posicionou Omniverse da mesma forma que apresentava a direção autônoma 20 anos atrás - como uma virada de jogo mundial. Jensen estava certo sobre a tecnologia autônoma, que está redefinindo quase todas as formas de transporte e acho que, provavelmente, ele está certo de novo agora.

Acho que é importante porque duvido que qualquer um dos fornecedores de videoconferência tenha isso em seu radar, mas pode tornar a maioria, senão todas, de suas plataformas obsoletas. Então, vamos dar uma olhada no Omniverse e por que ele pode tornar obsoletos todos os produtos de videoconferência atualmente no mercado.

Os recursos de videoconferência que ainda fazem falta

Venho cobrindo videoconferência desde os anos 1980, e dois requisitos têm sido constantemente negligenciados: interoperabilidade e compromissos paralelos. A interoperabilidade é o que mais me incomoda; era uma exigência clara para telefones desde o início e se estendia para smartphones (exceto para videochamadas). Mesmo a Microsoft, que se tornou um rei da interoperabilidade em quase todos os outros lugares, não se aproximou para lidar com a interoperabilidade, provavelmente porque um provedor não pode.

Nenhum concorrente irá adotar um produto concorrente, mas um terceiro, como a Nvidia, poderia criar um padrão que os outros poderiam adotar.

O outro problema, e muito mais desafiador de resolver, é o engajamento lateral. Quando você vai a uma reunião física, pode conversar com outras pessoas na sala, sair e ter conversas paralelas - ou talvez fazer uma refeição com alguém no evento. Essas discussões paralelas costumam ser valiosas porque você descobre coisas críticas que, de outra forma, não saberia. Você desenvolve relacionamentos que serão úteis em seu trabalho atual e em sua carreira a longo prazo.

Omniverse e 'Digital Twins'

Omniverse foi criado como uma plataforma de colaboração e simulação. É uma representação virtual fotorrealística do mundo natural projetada para promover a interação. Se você deseja se encontrar com alguém no Omniverse, você precisa de algo que lhe permita entrar neste mundo virtual. Idealmente, usando um fone de ouvido de realidade virtual (VR), você poderia navegar em um gêmeo digital de um prédio de escritórios, encontrar um gêmeo digital de uma sala de conferência e, em seguida, sentar-se em uma mesa virtual com os outros participantes.

Você veria seus gêmeos digitais e eles veriam o seu. A boca do seu gêmeo se move com suas palavras, e o gêmeo se vestiu adequadamente para o evento, mesmo que você tenha acabado de sair do banho. Ninguém veria dentro de sua casa existente (embora você pudesse ter um gêmeo digital de sua casa para que eles pudessem visitar).

Se você quiser ter uma conversa com outro participante, o aplicativo de conferência permite que você selecione esse participante na sala (independentemente de onde eles estejam virtualmente sentados), torne sua conversa privada e forneça um canal de comunicação seguro sem silenciar o alto-falante ou outros participantes. Esta abordagem seria sem dúvida melhor do que estar lá pessoalmente, onde você seria visto e ouvido.

Os recursos de voz para texto podem capturar o que está sendo dito. Uma IA conversacional poderia então gerar um resumo da reunião, destacando os itens em que você está mais interessado e criar um cronograma e lembretes para as tarefas que você concordou em assumir.

Para cada tópico de discussão envolvendo uma coisa ou lugar, o Gêmeo Digital relevante pode ser trazido, ou o grupo pode viajar virtualmente para onde ele está localizado no Omniverso, com um clique do mouse. E, independentemente de onde você esteja fisicamente, você sempre pode estar na reunião no horário, fazer pausas sem interrupções (a IA de conversação faria anotações para você e você poderia continuar a ouvir), e seu avatar estará sempre com a melhor aparência.

Encerrando

O que Huan disse em suas observações finais é que o Omniverse tem mais potencial de receita para designers do que o mundo real, porque Omniverse não tem limitação física. Isso poderia levar a vários mundos virtuais paralelos, criando uma oportunidade quase infinita de criação não limitada pelo tamanho de uma cidade, cidade, nação ou planeta.

É o Holodeck, de Star Trek, reimaginado (aqui está a versão Nvidia), embora não centenas de anos no futuro; poderíamos ter a maior parte disso em cinco anos, se as pessoas certas apoiassem. E se isso acontecer, aqueles que não estão a bordo serão muito parecidos com as empresas que construíam smartphones quando o iPhone foi lançado - praticamente obsoletos.

Imagine fazer uma apresentação sem slides em que a IA cria animações fotorrealistas 3D em tempo real do tópico. Omniverse antecipa este mundo de uma forma que as plataformas existentes não o fazem. Essa oferta pode mudar enormemente a forma como interagimos e colaboramos e tornar as reuniões virtuais, de uma vez por todas, muito mais produtivas do que a realidade.