Home  >  Negócios

Plataforma de pagamentos instantâneos do Banco Central começa nova etapa testes

Processo de consulta da PIX segue aberto até 18 de maio

Da Redação

15/04/2020 às 9h00

Foto: Shutterstock

Em fevereiro, o Banco Central apresentou a marca PIX para denominar o sistema de pagamentos instantâneos (SPI) que será instalado no Brasil até o final de novembro. E o mês de abril marca uma nova fase para a implementação do novo serviço.

A novidade é que as instituições poderão testar seus fluxos de liquidação. Em outras palavras, fazer recursos saírem do pagador ao recebedor no sistema.

O que será verificado nessa etapa é o fluxo de transações entre participantes diretos e entre participantes indiretos e os cenários de insucesso na liquidação do PIX. Durante os testes, todos os dados utilizados no experimento são fictícios.

"Na prática, o procedimento representa a implantação das funcionalidades mais importantes do sistema centralizado de liquidação do PIX, bem como das infraestruturas tecnológicas necessárias ao funcionamento do serviço", registra o Banco Central em nota para a imprensa.

Esta é a segunda etapa de teste. Primeiro, foi avaliado o cadastro de informações dos participantes e a conexão dos sistemas das empresas com a plataforma que sustentará o PIX.

"Nesse período, várias instituições realizaram com sucesso testes de conectividade e operações básicas com chaves do DICT (inclusão, exclusão e consulta). Os testes das demais funcionalidades do DICT também estão disponíveis em conjunto com os testes de liquidação", explicou o comunicado.

O DICT é o Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT), gerido pelo BC. É ele que armazena as informações das contas dos usuários recebedores e facilita a experiência do usuário ao simplificar a forma de encontra o recebedor.

Até o dia 18 de maio fica no ar a consulta pública para os interessados trazerem sugestões sobre o funcionamento do PIX.