Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Home  >  Negócios

Petrobras inicia operação do supercomputador Dragão

Capacidade de processamento é igual a de quatro milhões de celulares

Redação

18/06/2021 às 14h00

Petrobras
Foto:

Legenda: Adobe Stock

A Petrobras colocou em operação nesta semana o supercomputador Dragão. Com 200 terabytes de memória RAM,rede de 100 gigabits por segundo, e milhões de processadores matemáticos, o supercomputador tem capacidade de processamento equivalente a quatro milhões de celulares smartphones ou cem mil laptops modernos.

Agora que entra em operação, o Dragão se torna o maior supercomputador da América Latina, superando o Atlas e o Fênix, que também pertencem à Petrobras. O equipamento permitirá à companhia aumentar ainda mais a performance do processamento de dados geofísicos, reduzindo riscos geológicos e operacionais, além de dar suporte a projetos estratégicos. 

“O dragão, o maior supercomputador da América Latina, reforça nossa estratégia de conferir mais economicidade, agilidade, segurança e resiliência às nossas operações, aumentando a capacidade de processamento de dados para dar suporte ao negócio e agregar valor à Petrobras. Em cerca de dois anos, foram colocados em operação nove supercomputadores e esperamos chegar ao final de 2021 com cerca de 40 petaflops de capacidade, sem contar o uso de nuvem”, afirma o diretor de Transformação Digital e Inovação, Nicolás Simone.

O Dragão utilizará algoritmos desenvolvidos pelos geofísicos e analistas de sistemas da Petrobrás, possibilitando a geração de imagens da subsuperfície com maior resolução em áreas de interesse para exploração de petróleo, gás natural e otimização da produção. O equipamento também promete ganhos de eficiência, reduzindo significativamente os tempos de processamento de dados.

 “A capacidade de computação no mundo dobra a cada dois anos e a estratégia de investir em aumentá-la, seja por meio dos supercomputadores ou nuvem, tem trazido inúmeros ganhos à companhia", afirmou o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Fernando Borges.

O processo de montagem do supercomputador durou cerca de três meses, seguido por período de instalação de softwares e operação assistida. Foram necessários dez caminhões para transportar todas as partes do Dragão. Ele foi instalado em fileiras de oito a nove blocos que, juntos, totalizam 34 metros de extensão.

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15