Home  >  Negócios

Nvidia negocia compra de empresa de tecnologia mais valiosa do Reino Unido por US$ 32 bilhões

Fabricante de chips norte-americana pode comprar a empresa pertencente ao grupo japonês SoftBank em dinheiro e ações

Da Redação

04/08/2020 às 17h30

Foto: Adobe Stock

Em meio a uma série de vendas de ativos, a SoftBank negocia a venda da sua empresa de design de chips britânica, ARM, para a Nvidia. A fabricante de chips norte-americana está negociando com a SoftBank um acordo de dinheiro e ações que precifica a ARM, empresa de tecnologia mais valiosa no Reino Unido, em mais de US$ 32 bilhões, de acordo com o Financial Times.

Fontes anônimas do jornal disseram que não há garantia de que as discussões resultem em uma venda. Os detalhes exatos não foram fornecidos, mas as fontes confirmaram que o acordo proposto incluía dinheiro e ações, e que a ARM era avaliada acima do preço de US$ 32 bilhões que a SoftBank pagou pela empresa em 2016, segundo o jornal.

Com a alta de 151% no preço de suas ações, a Nvidia estaria em vantagem para a compra com uso de ações da empresa. Além disso, a aquisição da empresa britânica, favoreceria a posição da Nvidia na indústria de semicondutores. O valor de mercado da norte-americana subiu para US$ 261 bilhões nesse período, ultrapassando a Intel.

A reportagem alerta que as especulações sobre a negociação podem alarmar outras empresas potencialmente interessadas para entrar na disputa, incluindo Apple, Broadcom e Qualcomm, que podem temer que um ativo exclusivo seja adquirido por um concorrente em potencial como a Nvidia.

A compra da ARM pela japonesa SoftBank foi a maior aquisição de tecnologia de uma empresa britânica até hoje, segundo o jornal. Embora tenha precisado se comprometer com uma série de compromissos vinculados à empresa britânica, o grupo japonês não conseguiu fazer a ARM prosperar, de acordo com pessoas ligadas à empresa.

As receitas anuais da ARM aumentaram de US$ 1,2 bilhão para US$ 1,9 bilhão desde a compra da SoftBank, enquanto as da Nvidia praticamente triplicaram no mesmo período.

No mês passado, a SoftBank disse que cortou um negócio de IoT da ARM e o transferiu para uma nova empresa sob seu controle. A decisão retirou da ARM o que deveria ser o mecanismo de alto crescimento que o levaria a um futuro conectado à 5G, diz o jornal.

Em entrevista ao Financial Times, também no mês passado, Marcelo Claure, Diretor de Operações da SoftBank, disse que a unidade exigia investimentos significativos que estavam prejudicando o desempenho da Arm o que seria uma distração para a gerência.

As empresas se recusaram a responder à reportagem.