Home  >  Negócios

Mercado de e-commerce deve crescer 57% no Brasil até 2024, aponta estudo

Celular é o canal de comércio eletrônico de crescimento mais rápido no Brasil e impulsiona o crescimento do e-commerce, aponta FIS

Da Redação

19/03/2021 às 9h30

Foto: Adobe Stock

A pandemia mudou a forma como se comportam os consumidores, bem como a maneira que realizam suas compras para o momento atual e para além dele. Segundo estudo da Worldpay from FIS, o mercado de comércio digital do Brasil cresceu 22%, em 2020, o crescimento mais rápido dos últimos cinco anos. A compra via smartphones impulsionou o crescimento do comércio eletrônico no país e deve crescer 17% ao ano nos próximos quatro anos.

Leia também: Fintechs brasileiras já receberam meio bilhão de dólares em 2021

O mercado de comércio eletrônico do Brasil cresceu significativamente em 2020 em meio à pandemia. O relatório da FIS, provedora de soluções em tecnologia financeira, revela que o e-commerce cresceu 22% no país, em 2020, e deve crescer 12% ao ano até 2024.

O estudo “The Global Payments Report 2021”, conduzido pela Worldpay from FIS, mapeou as principais tendências em pagamentos e e-commerce em 41 países, incluindo da América Latina. Tendências que foram aceleradas em função da pandemia e que impulsionaram o crescimento do comércio digital em países como o Brasil, que hospeda o maior mercado de e-commerce na região e deve crescer 57% até 2024, de acordo com o estudo.

Os cartões de crédito (43%) e as carteiras digitais (17%) foram os métodos de pagamento on-line mais populares no ano passado. O levantamento mostra, ainda, que o mobile é o canal de crescimento mais rápido no Brasil, aumentando a uma taxa de 17% ao ano até 2024. As vendas realizadas pelo desktop estão crescendo 6% ao ano no mesmo período.

“Estamos entrando rapidamente na próxima fase do comércio digital, que visa possibilitar novas camadas de valor e conveniência para os consumidores on-line ou nas lojas”, disse Juan D’Antiochia, Gerente Geral da Worldpay from FIS para a América Latina. “À medida que a adoção de dispositivos móveis continua a crescer em todo o Brasil, o uso de carteiras digitais em todos os canais e no mercado de comércio eletrônico continuará crescendo em taxas aceleradas. Comerciantes que não investem na habilitação de novos modos de pagamentos digitais correm o risco de ficar para trás”, comenta o executivo.

Pagamento nos pontos de vendas

No que diz respeito a compras realizadas nos pontos de vendas, embora o dinheiro seja a principal forma de pagamento nos dias de hoje, os cartões de crédito devem eclipsar o dinheiro no ponto de venda até 2024, à medida que a inclusão financeira cresce no Brasil. Paralelamente, à medida que as carteiras digitais ganham o mundo, elas devem se tornar o método de pagamento de crescimento mais rápido nos próximos quatro anos, crescendo 24% ao ano durante esse período e dobrando sua participação no mercado para 16% até 2024.

O estudo prevê que o dinheiro cairá 9% ao ano nos próximos quatro anos e perderá 15 pontos percentuais da participação geral no mercado de compras off-line. À medida que a pandemia diminui, o relatório projeta que as compras off-line crescerão 4% ao ano até 2024 para um mercado de US$ 809 bilhões.

Tags