Fazer login no IT Mídia Redefinir senha
Bem-vindo de volta,
Digite seu e-mail e clique em enviar
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Salvar em Nova pasta de favoritos

+

Criar pasta
Últimos favoritos Ver todos
Home  >  Negócios

Siemens quer duplicar as exportações em 2004

A Siemens anunciou nesta segunda-feira, 01/12, os resultados do balanço financeiro, fechado no dia 30 de setembro de 2003, quando registrou um faturamento de R$ 4,6 bilhões, 14% superior ao do ano passado. Telecomunicações foi a principal área, representando 40% da receita da fabricante de origem alemã.

Ceila Santos

01/12/2003 às 19h55

Foto:

A Siemens anunciou nesta segunda-feira, 01/12, os resultados do balanço financeiro, fechado no dia 30 de setembro de 2003, quando registrou um faturamento de R$ 4,6 bilhões, 14% superior ao do ano passado. Telecomunicações foi a principal área, representando 40% da receita da fabricante de origem alemã.


O presidente da Siemens, Adilson Primo, destaca os negócios oriundos da telefonia móvel como os responsáveis pelo bom desempenho da empresa, que lucrou R$ 174,8 milhões entre 1 de outubro de 2002 e 30 de setembro de 2003. "Não só as estações radiobase oferecidas para os grupos GSM representaram uma boa parte dos pedidos feito esse ano, mas também os celulares, cujo o volume vendido representa 50% do volume de vendas dos aparelhos GSM neste período", explica Primo.


A agressividade das operadoras Claro e TIM, principais clientes da Siemens, continuará sendo a grande aposta para este ano já que a telefonia fixa está cada vez mais estagnada em virtude da alta penetração nas classes A, B e C e da ociosidade das atuais redes instaladas. Aluizio Byrro, vice-presidente da companhia, acrescenta que os equipamentos de banda larga são considerados uma boa oportunidade de negócio na área fixa, mas ainda está muito longe de reverter a retração de investimentos pelas operadoras dessa área.


O principal objetivo da fabricante, entretanto, é duplicar as exportações, que esse ano cresceram 24% comparado ao exercício fiscal passado, atingindo R$ 248,6 milhões. "Nossa meta é exportar cerca de R$ 500 milhões em 2004", proclama o presidente da Siemens. Para isto, a empresa aposta no potencial das centrais telefônicas destinadas ao setor corporativo (PABX). O Brasil tornou-se uma das plataformas mundiais de exportação desses equipamentos que serão destinados para América Latina, China, Estados Unidos e Europa. "Em 2004, os PABXs devem representar um total de US$ 80 milhões em volume de exportação e, em 2005, cerca de US$ 100 milhões", revela Byrro.


Apesar das deficiências na área de logística, indústria de componentes e infra-estrutura básica, o Brasil foi selecionado como o país exportador de centrais telefônicas do grupo, segundo Byrro, porque a mão-de-obra é até 40% mais barata que os demais países. A expectativa é contratar 1 mil novos funcionários, entre esse e o próximo ano, para cumprir a meta da produção. A fábrica de Curitiba é a responsável pela produção desses equipamentos e recebeu aportes de US$ 90 milhões entre 2001 e 2003.


Esse investimento não está contabilizado entre os R$ 152,4 milhões que foram aplicados em produtos novos, ampliação de infra-estrutura, entre outros processos durante o exercício fiscal de 2002 e 2003. A área de pesquisa e desenvolvimento representou R$ 79,6 milhões, que somados com os investimentos da empresa totaliza R$ 232 milhões, bem acima do lucro registrado.

Deixe uma resposta

Este anúncio desaparecerá em:

Fechar anúncio

15