Home  >  Negócios

Google espera que parte de seus funcionários trabalhem em casa permanentemente

Com a retomada ao escritório, gigante de tecnologia trouxe novas opções e perspectivas sobre o modelo de trabalho da empresa

Da Redação

06/05/2021 às 11h01

Google
Foto: Adobe Stock

O Google anunciou nessa quarta-feira (5) que está oferecendo mais flexibilidade aos funcionários para o retorno ao escritório. À medida que a empresa recebe os funcionários nos escritórios novamente, o Google oferece novas opções aos colaboradores, incluindo a possibilidade de alguns trabalharem em casa permanentemente, segundo informações do site CNET.

A companhia foi uma das primeiras grandes empresas a permitir que seus colaboradores trabalhassem de casa no início da pandemia. Sundar Pichai, CEO da empresa, havia anunciado em dezembro um plano para um modelo de trabalho híbrido, com os funcionários normalmente entrando no escritório três dias por semana.

Agora, Pichai disse aos funcionários em um memorando que espera que 20% da empresa trabalhe remotamente de forma permanente. A empresa também disse esperar que outros 20% dos funcionários trabalhem em um escritório do Google diferente do normalmente designado, se quisessem. Os outros 40% estariam trabalhando em seu campus normal de escritório alguns dias por semana.

Embora alguns escritórios já estejam recebendo seus funcionários no local, ninguém será obrigado a retornar até setembro deste ano. Na semana passada, inclusive, o Google apresentou novos recursos que planeja para seus escritórios em um ambiente pós-pandemia. Entre os recursos, paredes de balão inflável, mesas de pé que atendem às preferências de cada trabalhador com o toque de um crachá de funcionário e espaços de trabalho ao ar livre em estilo de acampamento.

Outra empresa precursora da flexibilidade de trabalho na pandemia, o Facebook, permitirá que alguns funcionários trabalhem em casa permanentemente. Mark Zuckerberg disse, no ano passado, que cerca de metade da força de trabalho do Facebook poderia trabalhar remotamente nos próximos cinco a 10 anos. O Twitter fez um anúncio semelhante, e Jack Dorsey, CEO da empresa, também estendeu a política para sua empresa de pagamentos móveis, Square.