Home  >  Negócios

Gastos globais com tecnologia diminuirão 8% em 2020, projeta Gartner

Setor de dispositivos e sistemas de Data Center registram maiores quedas. Em contrapartida, serviços em nuvem ganham destaque em meio à pandemia

Da Redação

18/05/2020 às 12h32

Foto: Shutterstock

Os gastos mundiais com Tecnologia da Informação (TI) totalizarão US$ 3,4 trilhões em 2020, segundo previsão do Gartner. A cifra representa um declínio de 8% em relação a 2019. O recuo é um reflexo direto da pandemia do novo coronavírus e a crise por ela desencadeada. A projeção de investimentos em TI do Gartner baseia-se na análise das vendas de milhares de fornecedores de produtos e serviços de TI.

A consultoria lembra que os efeitos da recessão econômica mundial estão obrigando as organizações e seus líderes a priorizarem os investimentos em tecnologias e serviços que são considerados “de ordem crítica” em detrimento de iniciativas focadas em crescimento ou transformação.

John-David Lovelock, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner, ressalta a estratégia para a otimização de custos de emergência adotadas pelas companhias, o que significa que os investimentos serão minimizados e destinados a operações que mantêm os negócios funcionando. Segundo ele, esta será a principal prioridade para a maioria das organizações durante 2020.

“A recuperação não seguirá os padrões anteriores, pois as forças por trás dessa recessão criarão choques nos lados de oferta e de demanda, à medida que as restrições de saúde pública, sociais e comerciais começam a diminuir”, avalia Lovelock.

Nuvem em alta

Todos os segmentos sofrerão um declínio de gastos em 2020, diz o Gartner. Porém, o setor de dispositivos e sistemas de Data Center deve registrar as maiores quedas. No entanto, à medida que a pandemia de COVID-19 continua estimulando o trabalho remoto, subsegmentos como o de serviços de Nuvem Pública deverão ser o ponto positivo da previsão, crescendo 19% este ano. O segmento de telefonia e mensagens baseadas em Nuvem verá seus níveis de investimentos crescendo 8,9% e o setor ou conferências baseadas em Nuvem, 24,3%.

“Em 2020, alguns projetos de transformação a longo prazo baseados em Nuvem podem ser suspensos, mas os níveis gerais de gastos no segmento que o Gartner projetava para 2023 e 2024 já estarão presentes em 2022”, diz o analista.

Recuperação

O Gartner afirma que a recuperação de investimentos em TI será lenta em 2020. Setores mais atingidos, como entretenimento, transporte aéreo e indústria de base, na projeção de Lovelock, levarão pelo menos três anos ou mais para voltar aos mesmos níveis de gastos que em 2019. “A recuperação requer uma mudança de mentalidade para a maioria das organizações. Não há como voltar. É preciso haver um recomeço com foco no avanço”, aconselha.