Home  >  Carreira

Escassez de talentos é a maior barreira para a adoção de tecnologias emergentes, diz pesquisa

Falta de talentos é seguida de custo de implementação e riscos de segurança como as principais barreiras para adoção de novas tecnologias

Redação

14/09/2021 às 17h15

desenvolvedor tecnologia ti
Foto: Shutter Stock

A disponibilidade de talentos é citada como o principal fator de inibição da adoção entre todos os seis domínios de tecnologia incluídos em uma pesquisa realizada pela empresa de consultoria Gartner. A escassez de talentos foi citada com muito mais frequência do que outras barreiras para a adoção de tecnologias emergentes, como implementação e segurança.

Os executivos entrevistados veem a escassez de talentos como a barreira de adoção mais significativa para 64% das tecnologias emergentes, em comparação com apenas 4% em 2020, de acordo com a pesquisa do Gartner. A falta de talentos se destacou entre os entrevistados também em relação a outras barreiras como custo de implementação (29%) ou risco de segurança (7%).

Entre os seis domínios de tecnologia incluídos na pesquisa do Gartner - infraestrutura de computação e serviços de plataforma, rede, segurança, local de trabalho digital, automação de TI e armazenamento e banco de dados - os executivos de TI citaram a disponibilidade de talentos como o principal fator de risco de adoção para a maioria das tecnologias de automação de TI (75%) e quase metade das tecnologias de local de trabalho digital (41%).

“O esforço contínuo em direção ao trabalho remoto e a aceleração dos planos de contratação em 2021 exacerbou a escassez de talentos de TI, especialmente para habilidades de sourcing que permitem nuvem e borda, automação e entrega contínua”, disse Yinuo Geng, vice-presidente de Pesquisa do Gartner. “Como um exemplo, de todas as tecnologias de automação de TI perfiladas na pesquisa, apenas 20% delas avançaram no ciclo de adoção desde 2020. A questão do talento é a culpada aqui”.

Em um processo de recuperação da pandemia, mais da metade dos entrevistados (58%) relataram um aumento ou um plano para aumentar o investimento em tecnologia emergente em 2021, em comparação com 29% em 2020.

Além disso, segundo o estudo, as funções de infraestrutura e operações (I&O) testemunharam uma redução nos prazos de implantação, com expectativas de que todas as tecnologias em implantação alcancem a adoção nos próximos seis a 18 meses.

“Isso indica que as organizações se sentem mais confortáveis ​​implantando diretamente novas tecnologias para acelerar o crescimento, em vez de depender de um longo período de observação para desenvolver o caso de negócios”, disse Geng.

O estudo também destacou que, em 2021, um número maior de líderes está influenciando as decisões de investimentos em tecnologia, com 82% dos líderes de TI concordando ou concordando totalmente que os líderes corporativos fora de TI influenciam as decisões de adoção de tecnologia emergentes em todos os domínios de tecnologia avaliados.

Apesar dos desafios de talentos, infraestrutura e operações (I&O), outros líderes de TI aumentaram a adoção de tecnologias emergentes para impulsionar a inovação conforme as organizações começam a se recuperar da pandemia, segundo o Gartner.