Home  >  Negócios

Empresa utiliza simulação científica para desenvolver EPIs contra Covid-19

Software criado pela Dassault Systèmes imita espirro humano para verificar nível de segurança dos equipamentos para proteção das pessoas

Da Redação

27/04/2020 às 14h00

Foto: Shutterstock

A Dassault Systèmes está utilizando a simulação científica do espirro humano para apoiar o desenvolvimento de projetos de equipamentos de proteção individual (EPI), como parte dos esforços colaborativos para responder rapidamente às necessidades urgentes não atendidas durante a pandemia do COVID-19.  

O espirro é uma das maneiras pela qual os patógenos, incluindo o COVID-19, se espalham. Por isso, as simulações são utilizadas para demonstrar o que acontece quando uma pessoa espirra, entender melhor a eficácia de diferentes EPIs que estão sendo desenvolvidos e implantados e ainda para ajudar a melhorar seu design. 

Para desenvolver esse produto, a Dassault Systèmes utilizou seus aplicativos de simulação SIMULIA PowerFLOW, normalmente utilizado nas indústrias aeroespacial e automotiva para gerar uma simulação dinâmica do fluxo de fluidos e ar.

No caso em questão, o software é utilizado para gerar uma simulação computacional de um espirro para fornecer informações sobre a física do fluxo de um espirro. 

Abaixo, você confere um exemplo em vídeo de como a simulação funciona:

De acordo com a Dassault , a simulação científica de um espirro utilizando o SIMULIA é baseada em dados publicados, incluindo a velocidade do gás em função do tempo que demora para sair da boca, bem como o tamanho e a distribuição das partículas das gotículas.  

 As simulações são computacionalmente eficientes, permitindo uma rápida exploração do espaço do projeto, que pode incluir o comprimento, largura e distância da blindagem entre indivíduos.