Home  >  Negócios

Até 2024, 69% da rotina de gestão das empresas será totalmente automatizada

Assistentes virtuais, chatbots e inteligências artificiais ocuparão boa parte dessas tarefas; diversidade também aumentará nas empresas

Da Redação

24/02/2020 às 10h00

Foto: Reprodução

Tecnologias como Inteligência Artificial (IA), assistentes pessoais virtuais e chatbots substituirão quase 69% da carga de trabalho mundial dos profissionais em cargos de gerência, promovendo uma transformação profunda na forma como o profissional de média gerência definirá seus objetivos e prioridades. 

"O papel de gerente passará por uma revisão completa nos próximos quatro anos", diz Helen Poitevin, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner, companhia responsável por apresentar o percentual. 

“Atualmente, os gerentes precisam gastar muito tempo preenchendo formulários, atualizando informações e aprovando os fluxos de trabalho” explica Poitevin, “Ao usar a Inteligência Artificial para automatizar essas tarefas, eles podem gastar menos tempo gerenciando transações e investir mais tempo em aprendizado, gerenciamento de desempenho e estabelecimento de metas.” 

A expansão dessa tecnologia também mudará o papel dos líderes de inovação. Na percepção da consultoria, esses profissionais (que hoje se focam em implementação de uma cultura de transformação) se dedicarão a atividades mais ligadas à gestão de pessoas e melhorias do uso da IA dentro da organização, já que o trabalho mais pesado, por assim dizer, já estará concluído. 

IA fomentando a diversidade 

Segundo análise da empresa, quase 75% dos executivos de recrutamento relatam que a escassez de talentos terá um efeito cada vez mais impactante em suas organizações.

Para superar a falta de mão de obra especializada, as organizações precisarão considerar pessoas com deficiência, que até então era um pool de talentos praticamente inexplorado.  

Nesse sentido, a Inteligência Artificial e outras tecnologias emergentes já estão ampliando as oportunidades de suporte à diversidade, tornando o trabalho mais acessível inclusive para os funcionários com deficiência.  

O Gartner estima que as organizações que empregam ativamente pessoas com deficiência têm taxas de retenção 89% mais altas e um aumento de 72% na produtividade dos funcionários, além de um aumento de 29% na lucratividade.  

A empresa também estima que, até 2023, o número de pessoas com deficiência empregadas triplicará mundialmente, devido justamente ao uso de IA e às tecnologias emergentes que reduzem as barreiras de acesso. "Algumas organizações estão usando a Inteligência Artificial com sucesso para tornar o trabalho realmente acessível para pessoas com necessidades especiais", explica Poitevin.  

Dessa forma, as organizações que não empregam pessoas com deficiência ficarão para trás de seus concorrentes já em 2022.