Home  >  Inovação

A grande revelação da Apple – o iPhone 13 – parece trazer sorte para a maioria

Apple nos mostra como chips poderosos impulsionados por software, hardware e inteligência de máquina integrados podem oferecer benefícios substanciais

Jonny Evans, Computerworld

14/09/2021 às 22h15

Apple iPhone 13 Pro
Foto: Divulgação/Apple

Em seu grande evento de setembro, nesta terça-feira (14), a Apple nos mostrou como os poderosos chips impulsionados pela integração de software e hardware e inteligência de máquina sob medida podem ser valiosos para usuários.

O que a Apple apresentou

A empresa aparentemente confirmou todos os rumores pré-evento, apresentando iPhones com bateria com duração de dia inteiro, acompanhados por uma estrela inesperada na forma de um iPad mini com chip A15 poderoso o suficiente para ser usado em qualquer tarefa de produtividade móvel.

A empresa nos disse que o iOS 15 estará disponível na segunda-feira (20). A empresa também lançou um novo Apple Watch e um iPad de entrada com diversas melhorias.

O que a Apple disse

Sobre o iPhone, a Apple disse:

“Nossos clientes confiam no iPhone todos os dias, e é por isso que tornamos o iPhone 13 e o iPhone 13 mini mais poderosos, mais capazes e mais divertidos de usar”, disse Greg Joswiak, vice-presidente Sênior de Marketing Global da Apple.

“Ambos os telefones têm belos designs, desempenho líder do setor e sistemas de câmera avançados com impressionantes recursos de fotografia computacional, todos com incrível durabilidade, resistência à água e um grande salto na vida útil da bateria para garantir que os clientes possam depender do iPhone quando precisarem. Tudo isso, totalmente integrado ao iOS 15 e com privacidade integrada, torna o iPhone 13 e o iPhone 13 mini uma escolha imbatível”.

Sobre o iPad mini, a Apple disse:

“Com seu design ultra-portátil e ampla gama de usos, desde tarefas diárias até aplicativos criativos e empresariais, não há nada como o iPad mini”, disse Joswiak. “Com um novo display Liquid Retina em todas as telas, grande aumento no desempenho, novas câmeras avançadas na frente e atrás, Center Stage, USB-C, 5G e suporte para Apple Pencil, o novo iPad mini é um grande avanço que pode ser segurado na palma da sua mão”.

É tudo sobre o processador

O processador A15 Bionic da Apple sustenta os dois principais anúncios que provavelmente interessarão aos usuários corporativos. O chip significa que a Apple agora vende o smartphone mais rápido que já existiu e também significa que o iPad mini tem potência mais do que suficiente (e uma conexão 5G) para torná-lo bem-sucedido em quase qualquer empresa móvel. Quer verificar o manual enquanto consertar um painel solar? Este dispositivo leve tem o que você precisa.

“O novo iPad mini é uma grande atualização e sem dúvida mais parecido com a categoria iPad Pro da Apple devido ao seu design, suporte para o chip A15 Bionic e um conector USB-C”, disse Ben Wood, analista da CCS, logo após o evento. “O iPad mini representa uma oportunidade significativa para a marca do iPad se estender ainda mais em diversos setores da indústria que a Apple já está apoiando, como aviação, saúde e varejo”.

Os benchmarks que vazaram recentemente sugeriam que o novo chip daria ao iPhone 13 o poder necessário para atingir um desempenho entre 10% e 20% melhor do que o chip do iPhone 12.

Eeste foi realmente o caso, com a Apple incrementando o chip com mais núcleos.

Você terá 15 bilhões de transistores, uma nova CPU de seis núcleos, sendo dois núcleos de alto desempenho e quatro núcleos de alta eficiência. Isso torna o chip “até 50% mais rápido que a concorrência, o mais rápido em qualquer smartphone, e lida com tarefas exigentes de maneira suave e eficiente, enquanto a nova GPU de quatro núcleos é até 30% mais rápida que a concorrência, e permite visuais mais realistas e efeitos de iluminação em jogos com muitos gráficos”, disse a empresa.

O novo Motor Neural de 16 núcleos é capaz de 15,8 trilhões de operações por segundo. Isso significa machine learning mais rápido, aplicativos rápidos e uma infinidade de aprimoramentos de visão de máquina, que capacitam o dispositivo com uma câmera que é quase igual aos dispositivos de captura de vídeo de última geração.

Isso é um bom presságio para o futuro do Mac e do iPad Pro também. O caminho para os chips da série M com múltiplos núcleos só pode terminar no Mac Pro. A maioria dos usuários corporativos deveria considerar isso.

Mas os processadores devem fazer algo para serem úteis

Como Brian Roemmele pontuou após o evento, em 1969, o poder de computação do mundo inteiro era de 66.700 operações por segundo.

O iPhone 13 (e, eu acho, o iPad mini, que compartilha o chip), nos dá 15,8 trilhões de operações por segundo em dispositivos que cabem no bolso. Meu aplicativo de calculadora me diz que isso significa que o dispositivo Apple que você colocou no bolso agora oferece 236 milhões de vezes a computação total do planeta em 1969.

Mas poder não é nada se você não sabe o que fazer com ele.

A Apple gosta de usar o poder que cria, que é o que fez com o iPhone 13; ele usa esse poder de processamento para fornecer bateria para o dia todo e para fornecer recursos de vídeo e fotografia que competem com equipamentos profissionais.

Este é o tipo de poder de processamento que seus aplicativos internos e voltados para o consumidor podem explorar agora, e está disponível no iPhone 13 (que, apesar de ser alvo de alguma triskaidekaphobia - fobia pelo número 13 - antes do evento, é um número da sorte em algumas partes do mundo) e no iPad mini.

É importante considerar que muito do que a Apple nos disse durante seu evento de lançamento sugere que quase todos os recursos, em todos os seus dispositivos, estão cada vez mais sendo ampliados pela inteligência da máquina, graças aos seus poderosos chips domésticos.

Ele fornece bateria para o dia todo, controlando de forma inteligente quando a energia deve atingir o pico e quando é desnecessária. E, é claro, outra coisa útil que os chips da Apple oferecem é o CenterStage, que contribui para melhores videochamadas - cada vez mais importante em um mundo de escritórios híbridos.

OK, mas e a tela?

A Apple apresentou a tela que todos esperavam. O iPhone 13 Pro e o iPhone 13 Pro Max apresentam Super Retina XDR com tela ProMotion, que suporta uma taxa de atualização adaptável de 10 Hz a 120 Hz. Isso significa taxas de quadros rápidas quando necessário, melhor vida útil da bateria quando a velocidade da tela não é necessária.

Oferecida em tamanhos de 6.1 polegadas e 6,7 polegadas, a nova tela tira proveito de um painel OLED mais eficiente. A Apple a chama de “a tela mais brilhante de todos os tempos em um iPhone” com brilho máximo até 25% maior em ambientes externos, de 1000 nits. Em uso, é claro, isso significa melhor resolução, cor e contraste, independentemente do que você fizer com o seu dispositivo.

O Pro Motion no iPhone é dinâmico e se ajusta de 10 Hz a 120 Hz, dependendo do conteúdo que exibe. Isso significa que você obtém um desempenho visual fantástico quando precisa, mas não está prejudicando a vida útil da bateria quando não precisa.

Os visores Super Retina XDR OLED no iPhone 13 e 13 mini fornecem um aumento de 28% no brilho máximo externo em 800 nits, com maior brilho de pico para conteúdo HDR como fotos e vídeos em 1200 nits, tudo isso ao mesmo tempo sendo mais eficiente no consumo de energia.

A verdade nua e crua é que, embora os críticos da empresa sempre afirmem que a Apple deveria ter retirado essas telas anos atrás, fazer isso é, foi e sempre será um problema da cadeia de suprimentos.

A Apple vende muitos telefones e precisava de um fornecedor (neste caso, Samsung, eu acho) capaz de fabricar esses monitores em quantidade suficiente e com qualidade consistente para as dezenas de milhões que pretende vender.

As operadoras querem que você fique viciado em 5G

Um take final.

Antes do lançamento, sabíamos que muitos usuários estavam trocando seus iPhones existentes para ganhar um pouco de dinheiro com os novos dispositivos.

O que torna isso mais interessante é que, embora o interesse de pré-lançamento entre os usuários do Android tenha diminuído em comparação com o último modelo, 18% deles estavam considerando uma atualização para o iPhone, enquanto 44% dos usuários existentes do iPhone também estavam pensando no novo dispositivo. Enquanto isso, dados recentes da Counterpoint nos dizem que a Apple ainda detém mais de 50% do mercado mundial de smartphones premium, seguida pela Samsung e Huawei (ambas em declínio). A Apple lidera a categoria em todas as regiões.

Tem havido muita especulação de que uma coisa que impulsionou o sucesso do iPhone 12 é que a Apple foi capaz de alcançar alguns acordos interessantes com as operadoras enquanto elas lutam para promover o 5G. A decisão da Apple de atualizar o iPad mini com 5G e estender o suporte para o padrão em outras nações e regiões se encaixa bem com isso.

Agora, parece que a empresa espera pegar essa onda - o que deve ter um grande impacto nas compras corporativas, assumindo que os negócios com as transportadoras se estendam à compra e atualização de frotas.

Os sinais são bons. Após o anúncio, a AT&T anunciou que pretende dar aos clientes novos e existentes da a oportunidade de obter um novo iPhone gratuitamente.

"Eles podem aproveitar as vantagens das seguintes negociações do iPhone 13 com uma troca qualificada, em um plano ilimitado e adquirido em um plano de parcelamento", afirma um comunicado de mídia compartilhado comigo.

Essas ofertas significam que você pode obter um iPhone 13 Pro ou mini sem custo inicial, ou um iPhone 13 Pro Max ou iPhone 13 por US $ 99 adiantado. A Cricket Wireless oferecerá a gama do iPhone 13 a partir de 24 de setembro, disse a empresa.

No caso de as operadoras em outras partes do Reino Unido e no mundo todo optarem por oferecer negócios igualmente tentadores, a maioria dos usuários de negócios terá uma oportunidade real de fazer um upgrade.

“Embora novos recursos de câmera, melhor duração da bateria e outras especificações técnicas venham a ganhar as manchetes, a maior história é indiscutivelmente os preços impressionantes de troca oferecidos pela Apple e seus parceiros. Os compradores norte-americanos que negociam o iPhone anterior podem obter até US $ 1.000 com um novo modelo e esperamos negócios semelhantes em outros mercados ao redor do mundo”, disse Wood, da CCS.

“É uma grande vantagem competitiva para a Apple e provavelmente aumentará o valor residual dos iPhones, que já são os mais altos do mercado graças à consistência implacável de produtos da Apple e às atualizações de software plurianuais”.