Home  >  Inovação

Parceria entre GSK e 23andMe promete otimizar tempo para descobertas médicas

Farmacêutica usará base de dados da startup para identificar participantes com maior chances de compatibilidade com medicamento em fase de testes

Da Redação

23/01/2020 às 12h00

Foto: Shutterstock

Após realizar em 2018 um investimento de US$ 300 milhões na startup 23andMe, que apresenta aos clientes um relatório de histórico genético, a farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) passou o ano seguinte se organizando internamente para fazer um uso efetivo das informações da outra empresa. Nesta semana, a companhia anunciou os primeiros esforços nesse sentido. 

A companhia explicou ao Financial Times que o primeiro projeto realizado em parceria com a 23andMe será na busca por pacientes com maior compatibilidade para o uso de medicamentos que estão sendo testados dentro da empresa. 

  • Leia na IT Trends: 

O que é Inteligência Artificial? 

Análise: estamos preparados para a era da superpersonalização? 

Segundo a GSK, o primeiro medicamento já foi escolhido e os testes clínicos começarão até o final de 2020. Em conjunto com a startup, a firma também convidou especialistas em genética da Universidade da Califórnia para a criação de um Laboratório de Pesquisa Genética, local que pretende utilizar tecnologia de forma a sofisticar o trabalho de análise realizado atualmente dentro da gigante britânica. 

Fundada em abril de 2006 por Anne Wojcicki e Linda Avey, a 23andMe possui uma base de dados com o código genético de aproximadamente 10 milhões de pessoas. Desse total, cerca de 80% demonstraram interesse em participar de testes médicos e permitiram que seus dados fossem analisados para esse fim. 

Além do acordo com a GSK, a startup fechou parcerias com outras farmacêuticas, como a espanhola Almirall, que está desenvolvendo um medicamento capaz de reduzir os efeitos de doenças inflamatórias na pele.