Home  >  Plataformas

Brandpost por Saiba mais Brandposts são artigos escritos e editados pela nossa comunidade de anunciantes e patrocinadores. Os Brandposts oferecem a oportunidade para um patrocinador apresentar ideias e comentários com seu ponto de vista diretamente para nossa audiência. A equipe editorial não participa da elaboração ou edição dos Brandposts.

PATROCINADA

Vire a chave para a nuvem e reinvente seu negócio

Especialistas da CSU.ITS apontam as principais razões e benefícios para as empresas iniciarem a jornada em direção à cloud computing

Por CSU.ITS

24/07/2018 às 16h32

Foto: Shutterstock

Com um ambiente de negócios que obriga as empresas a ser cada vez mais digitais para competir em um mercado complexo, os gestores de TI são desafiados duplamente: devem reduzir custos operacionais corporativos com infraestrutura de TI sem, contudo, perder a flexibilidade e a qualidade dos serviços.

O duplo desafio tem feito da jornada para nuvem o caminho natural para inúmeras organizações, já que, além da perspectiva de custos menores, a cloud computing proporciona alta disponibilidade, acesso a tecnologias inovadoras e escalabilidade aos negócios.

Na verdade, muitas empresas estão descobrindo que ter uma estratégia de computação em nuvem que permita a adoção de novos modelos de negócios digitais é, hoje, uma necessidade e não uma opção. "Em um cenário de transformações tão rápidas e disruptivas, a computação em nuvem tornou-se um importante fator de competitividade, pois somente por meio dela é possível às empresas aumentar ou diminuir os recursos na escala que precisam, com rapidez, segurança e confiança", afirma Anderson Müzel, diretor executivo da CSU.ITS, braço da CSU CardSystem voltado à terceirização de serviços de infraestrutura de TI e cloud computing.

De fato, a flexibilidade e a escalabilidade estão entre os principais benefícios proporcionados pela nuvem. Ela permite que a empresa dê um comportamento elástico aos seus recursos computacionais, que podem ser redimensionados rapidamente, conforme a necessidade. Assim, em épocas de menos demanda por armazenamento de dados, por exemplo, a empresa passa a pagar menos e evita manter recursos subutilizados que exigiriam gastos desnecessários.

Mas a grande vantagem da adoção de serviços em nuvem, especialmente em épocas de orçamentos apertados, está na possibilidade de a empresa trocar o Capex (investimento de capital) por Opex (despesas operacionais). Ela consegue, ao mesmo tempo, reduzir os gastos com infraestrutura fixa e atualização de data centers, e contar com um vasto arsenal de recursos computacionais para suas atividades.

Tudo virtualizado na nuvem

Hoje, provedores de serviços de ponta em nuvem, como a CSU.ITS, oferecem uma solução de cloud computing chamada data center virtual, cujo principal apelo está justamente em possibilitar a redução dos custos, garantindo uma infraestrutura mais completa, em que não apenas o servidor é virtual, mas o armazenamento em disco e a rede também são totalmente virtualizados. Ou seja, em vez de contratar apenas um servidor físico na nuvem, cria-se e contrata-se a infraestrutura de um data center inteiro como serviço, no modelo IaaS (Infraestrutura como Serviço).

"O principal ganho é, sem dúvida, o econômico, já que o data center virtual permite a consolidação de todo um parque tecnológico sem a necessidade de investir em nenhum equipamento, já que tudo é virtualizado na nuvem", afirma Fernando Freitas, diretor financeiro de Novos Negócios da CSU.ITS.

Outro grande atrativo apontando por ele é que o data center virtual possibilita o gerenciamento servidores, rede e storage através de uma camada de software. Mesmo que os servidores estejam espalhados fisicamente no data center da CSU.ITS, por exemplo, a camada de software fará com que estes servidores estejam virtualmente em um ambiente unificado. "Isso possibilita integrar, em um único ambiente, servidores que estariam isolados entre si”, explica Freitas.

Flexibilidade e custos

De acordo com Müzel, o que diferencia a Cloud CSU.ITS no mercado é a composição dos recursos. A lista inclui, entre outros, "a escolha da arquitetura de rede; equipamentos redundantes de alto desempenho; a plataforma de virtualização robusta e estável; a utilização de rede definida por software; o conceito de data center virtual; além do pagamento sob demanda; scale out/in e portal de provisionamento".

Müzel aponta outra característica importante da plataforma, que é a possibilidade de a empresa trabalhar naturalmente com ambientes híbridos, ou seja, integrar uma plataforma de cloud computing com soluções físicas (hosting e colocation).

“As dificuldades de uma Gestão de Custos eficaz em infraestrutura de Nuvem Pública, alto custo na migração de dados da nuvem pública, aliadas a volatilidade do dólar nos últimos meses, indicam que uma nuvem privada, com preços totalmente em reais e sem volatilidade, mostra-se além de seguro um caminho saudável para as empresas que estão pensando apenas em nuvem como solução. Com a Nuvem privada da CSU, nós entregamos todo o poder computacional sob demanda e sem riscos de câmbio”.

Inovação contínua

Um aspecto determinante para a adoção de serviços em nuvem pelas empresas são os benefícios da inovação contínua que vem com a nuvem, que também afasta o risco de obsolescência tecnológica que pode ocorrer quando se concentra muitos recursos na manutenção de sistemas desatualizados dentro de casa.

O diretor executivo da CSU.ITS faz questão de frisar também que a nuvem é o principal mecanismo de acesso a tecnologias novas e emergentes, tais como inteligência artificial, aprendizado de máquina, computação cognitiva, automação inteligente de processos e Internet das Coisas (IoT), entre outras.

Mas o principal, salienta Müzel, é que, ao aderir aos serviços de nuvem, a empresa deixa de se preocupar com todos os detalhes de TI, como segurança, disponibilidade, redundância, treinamento e contratação de equipe, etc. "Com isso, os gestores podem investir seu tempo para se dedicar à estratégia e à inovação, e tomar as melhores decisões para o crescimento da empresa", finaliza.