Home  >  Acervo

Usuários afirmam que Sun precisa melhorar o MySQL

Clientes do banco de dados baseado em padrões abertos comemoram aquisição, mas dizem que Sun terá trabalho para tornar o produto mais atrativo para o mercado corporativo.

IDG News Service

18/01/2008 às 13h50

Foto:

Ao pagar cerca de US$ 1 bilhão pela MySQL AB esta semana, a Sun divulgou planos de tornar o banco de dados baseado em padrões abertos mais atrativo para usuários corporativo. Para estes usuários, a empresa terá muito trabalho pela frente.

E alguns afirmaram que o MySQL não precisa apenas de ajustes técnicos. Mesmo que a Sun descreva o produto como um “ícone do padrão aberto”, há vários fatores apontados por usuários infelizes, como táticas de vendas dos fornecedores de bancos de dados e o fato de suas sugestões sobre o desenvolvimento do produto serem ignoradas.

Por enquanto – algumas horas após a proposta de aquisição – Don MacAskill, CEO da SmugMug, afirmou em seu blog que vem considerando seriamente a possibilidade de não renovar o contrato de suporte que mantém para o serviço de compartilhamento de fotos online que mantém com o produto. “Eu provavelmente não pagaria pelo MySQL como ele é hoje”, escreveu.

Em uma entrevista, MacAskill disse que o desempoenho do MySQL é semelhante ao do InnoDB, sistema de armazenamento mais utilizado pelo banco de dados. Em particular, os problemas afetam sistemas com processadores multicore.

Tanto o Google como outros usuários do produto desenvolveram patches para solucionar problemas de desempenho, mas MacAskill lembra que o fornecedor do produto ainda não os adicionou ao banco de dados, apesar de vários pedidos dele, e de outros, para que isso fosse feito. “Eu não entendi porque eles não aceitaram e simplesmente colocaram estes patches na nova versão. Seria do melhor interesse da Sun ver o MySQL rodando realmente rápido”, disse.

Executivos do MySQL disseram que a questão sobre os patches agora deve ser respondida pela Sun – mesmo que aquisição só deva ser concluída no final deste trimestre. Um porta-voz da Sun disse ontem, via e-mail, que “ainda é muito cedo para discutir planos específicos” para a atualização do banco de dados. “O que podemos dizer é que estamos trabalhando junto aos nossos clientes e desenvolvedores para ouvir o que eles têm a dizer sobre as diretrizes do produto e dos serviços, e vamos continuar a fazê-lo”, afirmou.

Em seu blog, Jeremy Cole, ex-usuário do banco de dados no Yahoo e hoje consultor de MySQL na Proven Scaling, disse haber uma série de outras coisas a serem ajustadas no produto. “Há uma série de áreas aonde o MySQL vem falhando há bastante tempo, e os maiores usuários vem tentando resolver o problema por conta própria”, disse, citando problemas com a replicação, logging e alocação de memória interna do banco de dados.

Além disso, Cole criticou as equipes de vendas e marketing do MySQL, e disse que o modelo de desenvolvimento da companhia está “quebrado”.

Jonatha Schwartz, CEO e presidente da Sun, disse durante uma teleconferência realizada na quarta-feira, que o maior impedimento para o crescimento do MySQL tem sido a inabilidade de “dar paz a um cliente global que queira colocar o produto em desenvolvimentos de missão crítica”. Schwartz acredita que o banco de dados será beneficiado pela atuação da Sun no mercado corporativo.

Atualmente, a Sun já distribui o banco de dados baseado em padrão aberto PostgreSQL juntamente com seus servidores Solaris. No site da companhia, o produto é apresentado como “a escolha para plataforma de banco de dados baseado em padrões abertos”. Mas Schwartz descreveu a aquisição como a mais importante jamais feita pela Sun – indicando que o MySQL deve eclipsar o Postgre na lista de prioridades da empresa.

Além das questões internas a serem enfrentadas pela Sun, a aquisição pode complicar seu relacionamento com a Oracle, hoje seu maior parceiro em banco de dados. Isso porque o MySQL compete diretamente com a Oracle e outros fornecedores de bancos de dados e a Oracle tornou-se proprietária do InnoDB após adquirir seu desenvolvedor, a Innobase Oy, no final de 2005.

“Agora que o MySQL terá o suporte de um grande fornecedor, muitas empresas vão vê-lo com mais seriedade. Eu penso que este será um problema de longo prazo para a Oracle”, afirmou Robert Lepanto, gerente de aplicações Oracle da AppCentric Solutions. Lepanto, que também é presidente do grupo de usuários Oracle da região metropolitana de Nova Iorque, se disse surpreso com o fato de a Oracle não ter comprado a MySQL primeiro.

Outros destaques sobre o acordo entre as empresas:
> Entrevista: CEO da Novell fala sobre acordo com Microsoft
> Com atraso, Novell torna públicos o acordo com a Microsoft
> Microsoft detalha ao governo estratégias e parceria para Linux
> Red Hat: não venderemos nossa alma como a Novell
> Linux infringe propriedade intelectual da Microsoft, diz CEO

Além do Google, Yahoo e SmugMug, a lista de clientes do MySQL inclui algumas das estrelas da Web 2.0, como o Facebook e o YouTube, e outras empresas mais tradicionais como a Toyota e a Southwest Airlines.

O acordo para a compra encerra uma série de especulações sobre o futuro do MySQL. Antes do acordo com a Sun, a companhia esteve a ponto de fazer uma oferta pública de ações, informa Kevin Harvey, sócio da Benchmark Capital – uma companhia de venture capital – e chairman do board da MySQL. A Benchmark tem 26% do controle da MySQL e usa o banco de dados em seu Web site.

Um dos desafios enfrentados pela Sun é como ampliar suas vendas enquanto utiliza padrões abertos em suas tecnologias chave, como Solaris e Java. Para Harvey, um olhar sob perspectiva mostra que o padrão aberto claramente pode se transformar em um fantástico modelo de negócios.

Deixe uma resposta