Home  >  Negócios

Intel muda estrutura executiva após atrasos de novos produtos

Anúncio mais significativo foi saída de Murthy Renduchintala, que atuava como Chief Engineering Officer e presidente de arquitetura e tecnologia

Da Redação

29/07/2020 às 8h30

Foto: Shutterstock

A alta liderança da companhia de semicondutores Intel anunciou na tarde de segunda (27) uma série de mudanças envolvendo áreas como supply chain, arquitetura, design e manufatura de produtos, como plano de ação para otimizar os trabalhos realizados nestes setores nos próximos meses. 

Essa mudança ocorre após a empresa comunicar em seu balanço financeiro que o cronograma de lançamento dos chips de 7 nanômetros seria atrasado em um ano, frustrando investidores e colocando a companhia em desvantagem contra concorrentes do setor, que já oferecem o produto dentro dessas especificações e que neste meio tempo já estão construindo versões menores do mesmo componente.

Dentre os comunicados de reposicionamento feitos pela Intel, o mais significativo foi a saída de Murthy Renduchintala da empresa.  Na companhia desde o final de 2015, Renduchintala era o Chief Engineering Officer da empresa e responsável por supervisionar aspectos como fabricação, engenharia e tecnologia dos chips produzidos pela Intel nos EUA. 

A companhia não anunciou um substitui para o posto de Renduchintala, mas informou que as divisões da empresa unirão forças para trabalhar na entrega da geração de produtos. 

Dança das cadeiras 

Dentro dessa nova configuração, a tarefa de entregar os chips de 7nm foi colocada sobre a responsabilidade de Ann Kelleher, que está na empresa desde 1996 e ocupava anteriormente o posto de sênior vice-presidente de manufatura e operações. A executiva possui doutorado em engenharia elétrica pela Universidade de Cork, na Irlanda. 

Quem ajudará Kelleher nessa missão será Keyvan Esfarjani, substituindo o trabalho executado por ela e dando apoio nas questões de desenvolvimento da nova tecnologia. 

Em paralelo ao novo organograma, a empresa também avalia o custo-benefício entre realizar todo o processo internamente ou trabalhar com outras empresas para acelerar produção e entrega da nova solução, de forma a perder a menor participação de mercado possível nos próximos anos. 

Tags