Home  >  Negócios

Facebook quer avançar no mercado de videoconferência com Messenger Rooms

Recurso permite que usuários incluam até 50 pessoas dentro de uma reunião ao vivo e pode ser ativada em páginas, perfis e grupos

Da Redação

24/07/2020 às 8h30

Foto: Reprodução Facebook

O Facebook anunciou nesta quinta (23) o lançamento do Messenger Rooms, recurso que permite a qualquer usuário da rede social criar uma videoconferência com até 50 pessoas e transmiti-la ao vivo em páginas ou grupos da plataforma. 

O anúncio chega em um momento no qual a empresa quer "surfar" no uso massivo de soluções de vídeo, causado pelo distanciamento social. De acordo com a empresa, a quantidade de transmissões ao vivo nas páginas aumentou de forma significativa. 

“Entre Messenger e WhatsApp, mais de 700 milhões de contas participaram de chamadas de voz e vídeo todos os dias, e o número de chamadas mais do que dobrou em muitos países desde o início da pandemia” afirma Stan Chudnovsky, VP do Messenger. “ Em alguns casos, o número de videochamadas em grupo aumentou mais de 10 vezes.” 

No anúncio, a Product Manager Jasmine Stoy explica que o usuário pode convidar até mesmo pessoas que não possuem uma conta na rede social. Caso o anfitrião do convite decida disponibilizar a conversa ao vivo em uma página ou grupo, o Facebook poderá revisar trechos de áudio ou vídeo para conferir se os conteúdos estão de acordo com as condutas da empresa. 

O Messenger Rooms foi lançado de forma gradual desde quinta, tanto para aplicativos como desktops, e em breve estará disponível para os mais de 2 bilhões de usuários que fazem uso dos apps da Facebook Inc. 

A iniciativa da companhia vai ao encontro das decisões adotadas por outras empresas de tecnologia para facilitar e melhorar suas soluções de comunicação em vídeo. Um exemplo é o Google, que nos últimos meses anunciou diversas melhorias para o app Meet.