Home  >  Negócios

Microsoft anuncia que fechará lojas físicas e concentrará vendas no e-commerce

Vendedores das lojas serão deslocados para canal online; decisão terá impacto de US$ 450 milhões no trimestre atual gerado por depreciação de ativos

Da Redação

29/06/2020 às 10h00

Foto: Shutterstock

A Microsoft pegou o mercado de surpresa ao anunciar na última sexta (25) um novo posicionamento da sua estratégia de varejo, tendo como medida mais expressiva o fechamento de todas as lojas físicas da marca, concentrando as vendas em seus canais on-line. 

"Nossas vendas cresceram (em plataformas) on-line à medida que nosso portfólio de produtos evoluiu para ofertas amplamente digitais, e nossa talentosa equipe obteve sucesso em atender clientes além de qualquer local físico", disse em comunicado David Porter, vice-presidente corporativo da Microsoft. "Agradecemos aos clientes da Microsoft Store e esperamos continuar a atendê-los on-line e com nossa equipe de vendas de varejo nas instalações corporativas da Microsoft". 

Totalizando 83 lojas, os locais foram  criados para emular
a experiência de uso oferecida pela Apple em suas lojas, nas quais os
funcionários atuam mais como consultores do que vendedores.  

Além das lojas físicas, a Microsoft também oferece outros espaços de experiência para os clientes, como os Experience Centers localizados em Londres, Nova York, Sydney e na sede, em Redmond. A empresa informou que também está reavaliando se mantém ou não essas locações. 

Financeiramente falando, a companhia estima que o fechamento desses locais gerará um custo de  US$ 450 milhões, ou US$ 0,05 por ação, por conta de depreciação de ativos. 

No comunicado, empresa explicou que os colaboradores que atuavam nos espaços serão redirecionados para prestar consultoria on-line aos mais diversos públicos-alvo da empresa, como consumidores, pequenas empresas, educação e clientes corporativos. 

“A equipe [que trabalhou na Microsoft Store] tem um histórico comprovado de atração, motivação e desenvolvimento de talentos diversos. Essa infusão de talento é inestimável para a Microsoft e cria oportunidades para milhares de pessoas”, afirma Kathleen Hogan, Chief People Officer da empresa. 

*Com informações da CNBC

Tags