Home  >  Negócios

De promessa à endividada: fintech de pagamentos Wirecard declara falência

Esquema global de fraudes e empréstimos não pagos deixou empresa com cerca de US$ 4 bilhões em dívidas

Da Redação

26/06/2020 às 13h00

Foto: Shutterstock

Nesta quinta (25) a fintech alemã Wirecard anunciou que a operação da empresa no seu país de origem, a Wirecard AG , solicitou a um tribunal de Munique a abertura de um processo de insolvência, que ocorre quando um negócio não tem dinheiro suficiente para pagar a operação e dívidas contraídas. 

A solicitação acontece menos de uma semana após a EY, empresa que audita o balanço financeiro da Wirecard, vir à publico informar a falta de US$ 1,9 bilhão do caixa da companhia: dinheiro cujo paradeiro não foi identificado.

Markus Braun, então CEO da empresa, confessou que a quantia era ainda maior: cerca de US$ 2,1 bilhões do caixa nem existiam. Braun acabou sendo preso, mas pagou fiança e está aguardando o processo em liberdade. 

Em nota, a EY, explicou que a perda do dinheiro faz parte de “uma fraude elaborada e sofisticada envolvendo várias partes do mundo” 

Além desse rombo, a empresa já avisou que não conseguirá pagar dois empréstimos que vencem na próxima semana,  nos valores de 800 milhões de euros (US$ 896 milhões) e 500 milhões de euros (US$ 560 milhões). Ao todo, as dívidas somam quase US$ 4 bilhões. 

Em paralelo, a companhia (que faz parte do hall de startups financiadas pelo SoftBank) busca entender como conseguirá arcar com as dívidas e se precisará captar ativos de subsidiárias baseadas em outros países - a Wirecard conta com escritórios em 28 países, incluindo o Brasil.  

Mas a possibilidade de recuperação é baixa: em uma semana, as ações da marca caíram impressionantes 98% desde a última semana, por conta de todo esse cenário. Um desenrolar bem triste para uma empresa que no início do ano estava listada emntre as 30 principais companhias do índice alemão de ações DAX, chegando a ser avaliada em US$ 28 bilhões. 

*Com informações do TechCrunch 

Tags