Home  >  Negócios

Zoom volta atrás e habilitará criptografia para todos os usuários do serviço

Inicialmente, empresa havia anunciado que recurso seria implementado apenas para quem faz uso da versão paga da ferramenta; inclusão começa em julho

Da Redação

18/06/2020 às 14h00

Foto: Shutterstock

Companhia do setor de videoconferência, a Zoom Communications informou nesta quarta (17) que seu serviço de criptografia será disponibilizado para todos os usuários de seu serviço, sejam clientes pagos ou usuários gratuitos.  

Anteriormente, a empresa havia assinalado que a função de segurança — que impede que terceiros consigam acessar a conversa — seria reservada apenas a quem faz uso da opção paga da plataforma. A decisão gerou críticas de senadores americanos e até petições on-line para rever a decisão, que acumulou mais de 70 mil assinaturas. Os pedidos, ao que parece, surtiram efeito. 

Em um post institucional, o CEO Eric Yuan explicou que os usuários que não possuem a versão paga do serviço precisarão verificar seus números de telefone para obter acesso à criptografia ponta-a-ponta, também conhecida por E2EE. 

"Também temos o prazer de compartilhar que identificamos um caminho a seguir que equilibra o direito legítimo de todos os usuários à privacidade e à segurança dos usuários em nossa plataforma", escreveu Yuan. Por medida de segurança, as reuniões que optarem pelo sistema E2EE não poderão ser acompanhadas por ligação via telefone celular. 

Segundo a Zoom, o serviço de E2EE será implementado a partir de julho de 2020 e o uso da criptografia será opcional, ficando ao cargo dos administadores da reunião habilitar (ou não) o recurso.