Home  >  Carreira

Como as realidades virtual, aumentada e mista podem contribuir com o ensino durante a pandemia

Nessa verdadeira luta pela aprendizagem em casa, tecnologias imersivas se tornam aliadas importantes

Luiz Alexandre Castanha*

29/05/2020 às 18h30

Foto: Shutterstock

Foi necessária uma pandemia global e o fechamento de milhões de escolas para entendermos o valor da transformação digital na educação. E como resposta a essa crise, a solução foi migrar para a aprendizagem em plataformas virtuais, TV, podcasts e até o bom e velho rádio. Enquanto as escolas e centros de treinamento corporativos estão fechados e as políticas de quarentena continuam, é na tecnologia que se precisa confiar. E, nessa verdadeira luta pela aprendizagem em casa, tecnologias imersivas como as Realidades Aumentada, Virtual e Mista são aliadas importantes.

A Realidade Aumentada (RA) permite que as informações digitais sejam sobrepostas e integradas ao nosso ambiente físico. Como? Um aplicativo lê uma imagem pré-formatada, usando a câmera de um smartphone ou tablet, realizando a sobreposição de uma imagem digital em cima da imagem real. Com muitos de nós agora fora do ambiente de aprendizagem durante a pandemia, a RA é uma ferramenta que pode nos ajudar a transformar o ambiente em espaços de aprendizado, trabalho e entretenimento. Na aprendizagem ela pode auxiliar em conteúdos extremamente técnicos como o desmonte de um motor de um automóvel ou mesmo ensinar procedimentos de emergência em um pronto socorro a partir de uma simples imagem. Ela gera engajamento, turbina conteúdos e proporciona informação atualizada sobre produtos e processos.

A Realidade Virtual (RV) também é utilizada com sucesso. A tecnologia oferece uma experiência que pode ser semelhante ou completamente diferente da realidade atual. Uma simulação de uma imagem ou ambiente 3D é gerada por computador. E nela se interage de maneira aparentemente real. No processo são utilizados óculos adaptados. Outros equipamentos que podem ser utilizados são sensores de movimento e em alguns casos, luvas e controles. Os alunos que aprendem por meio da RV experimentam uma presença completa, aumentando as chances de assimilarem novos conhecimentos e habilidades. E em quais situações ela pode ser utilizada? Alguns exemplos são treinamentos em espaços confinados, ambientes de alto risco e situações difíceis de simular (como manobrar aviões, por exemplo). A tecnologia possibilita experiências de vida real, captando inclusive reações emocionais.

Já a Realidade Mista (RM) permite interagir e manipular objetos virtuais com sobreposição ao ambiente real. Ela consegue esta proeza usando tecnologias de detecção e projeção holográfica de imagem de última geração e a manipulação de objetos é bem simples usando as próprias mãos. Esta tecnologia fornece a capacidade de se ter uma parte de cérebro no mundo real e o outro em um lugar imaginário, oferecendo uma experiência que pode mudar a maneira se comunica com o mundo.

Existem três tipos de Realidade Mista: a que apenas funde objetos digitais em camadas no mundo real, a que permite aos usuários interagir com objetos holográficos e a que incorpora o ambiente virtual conectado ao mundo real fazendo uma sobreposição. A RM exige a utilização de equipamentos como óculos especiais e controladores de movimento. Imagine aprender história visitando as ruínas da Grécia ou Geografia analisando rochas! Graças a essa realidade mista, é possível tocar e manipular objetos, gerando uma maior compreensão deles. Os alunos também podem interagir com conjuntos de dados, fórmulas complexas e conceitos abstratos que podem ser mais difíceis de entender apenas por meio das instruções verbais do professor.

Os sistemas educacionais exigirão esforços titânicos para responder efetivamente a esta crise, mas deixe-me terminar com uma nota positiva. A sabedoria e a criatividade em diferentes contextos podem gerar lições valiosas para melhorar a qualidade da educação. Podemos aprender a usar a tecnologia de maneira mais eficaz, um desafio de longa data para muitas escolas e empresas. Eu estou esperançoso. Agora, mais literalmente do que nunca, estamos vendo claramente que a educação é a lição de casa de todos.

*Luiz Alexandre Castanha é especialista em Gestão de Conhecimento e Tecnologias Educacionais