Home  >  Sem Categoria

Tivit usará 100% de energia limpa para escritórios e data centers no Brasil

A partir de 2022, todos os 30 escritórios e quatro data centers no País serão alimentados por energia gerada em parque eólico

Da Redação

22/05/2020 às 12h33

Foto: Divulgação

A Tivit anunciou nesta sexta-feira (22) que usará 100% de energia limpa em suas operações a partir de 2022. Todos os 30 escritórios no Brasil, além dos quatro data centers sediados no País, serão alimentados por energia gerada em um parque eólico no Rio Grande do Norte, administrado pela empresa Casa dos Ventos. Segundo a multinacional brasileira de tecnologia, a empresa escolhida para conduzir o projeto de longo prazo, detém local com uma das melhores condições de vento do Brasil.

Em comunicado à imprensa, Carlos Gazaffi, presidente da Tivit, comenta que ao se comprometer com um adoção de energia limpa em toda a operação brasileira, a Tivit busca deixar um legado de sustentabilidade. "A Tivit tem o compromisso de diminuir a sua pegada de carbono", destaca. "A companhia terá sua energia suprida por um dos maiores projetos eólicos do mundo, e esperamos, por meio dessa ação, continuar a impactar positivamente nossos colaboradores, fornecedores e as empresas com as quais mantemos relações".

A companhia conta com uma operação robusta na América Latina. São cerca de 7 mil funcionários e 10 data centers na região. A adoção de energia eólica, como principal fonte de energia, portanto vai na direção de diminuir os impactos dessa operação no meio ambiente.

Para Lucas Araripe, diretor de projetos e novos negócios da Casa dos Ventos, "esse é um grande passo, não apenas para a Tivit, mas por consolidar uma tendência crescente de grandes consumidores buscarem suprimento energético sustentável. Rio do Vento evitará a emissão anual de um milhão de toneladas de CO2 graças a Tivit e outros clientes que se tornaram nossos parceiros no projeto."

Geração de empregos - Segundo a Tivit, o empreendimento será responsável pela geração de aproximadamente 1.200 empregos e terá uma capacidade instalada de 504 megawatts. A operação comercial está prevista para o segundo semestre de 2021.