Home  >  Negócios

iFood anuncia novo fundo de R$ 50 milhões para apoiar restaurantes durante pandemia

Com novo montante, startup de entregas dobra o valor anunciado há dois meses e afirma que fundo já passa a valer para o próximo mês

Da Redação

21/05/2020 às 11h14

Foto: Shutterstock

O iFood anunciou nessa quarta-feira (20/05) a expansão do seu fundo de apoio para restaurantes durante a crise do novo coronavírus. Segundo informações do Estadão, o fundo destinará R$ 50 milhões à disposição de seu ecossistema, que ao longo da pandemia saltou de 130 mil restaurantes para 160 mil.

Em março deste ano, a startup havia destinado R$ 50 milhões para os estabelecimentos parceiros. Agora, dois meses depois, afirma que o fundo já está esgotado e que o novo montante será válido para o próximo mês inteiro, com recursos sendo liberados semanalmente para os parceiros.

Ao Estadão, Diego Barreto, diretor financeiro do iFood, disse que a empresa acreditava que dois meses seriam suficientes para a pandemia recuar no Brasil. "Mas a conclusão que chegamos é que o Brasil vai demorar mais um tempo para conseguir isso", afirmou ao jornal.

A política de antecipação de pagamentos para os restaurantes em até 7 dias também foi estendida. Antes, os estabelecimentos recebiam os valores em até 30 dias. De acordo com a empresa, 90% da base de parceiros do iFood solicitou o auxílio.

Apoio aos entregadores

O diretor financeiro do iFood disse que a empresa vai estender a duração dos fundos de auxílio para os entregadores. Este fundo é avaliado em R$ 2 milhões e cobrem pagamentos para os entregadores que apresentarem sintomas do coronavírus ou que pertencem ao grupo de risco da doença.

Não há data, por enquanto, disse Barreto, para colocar um fim aos fundos. Eles serão estendidos indefinidamente, ao entender que mesmo em um momento de relaxamento da quarentena, será preciso colaborar para a segurança do ecossistema de delivery.

O iFood afirma ter destinado outros R$ 12 milhões em ações para os entregadores, incluindo a compra e entrega de kits de proteção, com máscaras e álcool em gel, e uma parceria com um serviço de saúde, a Avus.

O período de isolamento social tem feito a demanda por pedidos crescer para a startup. Em março, foram registrados 30,6 milhões de entregas, contra 26 milhões em novembro do ano passado.