Home  >  Plataformas

Apple e Google lançam API que permitirá governos monitorarem covid-19 por celular

Com tecnologia, governos poderão criar apps que consigam notificar aqueles que entraram em contato com pessoas diagnosticadas com coronavírus

Da Redação

20/05/2020 às 18h01

Foto: Shutterstock

Apple e Google anunciaram nesta quarta-feira (20) o resultado de uma parceria para dar apoio a governos mundo afora no monitoramento da covid-19. As empresas informaram que o iOS 13.5 e o Google Play Services, do Android, agora trazem a API de Notificação de Exposição.

Segundo as companhias, essa API permitirá que governos possam criar aplicativos para notificar pessoas que tiveram contato com outras diagnosticadas com o coronavírus. Vale, entretanto, ressaltar que as duas gigantes de tecnologia não disponibilizam um aplicativo proprietário às autoridades governamentais ou de saúde - e sim um conjunto de ferramentas com recursos que possam ser utilizados pelos desenvolvedores. Caberá também, ao usuário escolher se participa ou não do programa que permite o monitoramento.

Como funciona

A nova API utiliza o método de contact tracing (rastreamento de contato), que permite informar se você esteve próximo de alguém diagnosticado com a covid-19. Para isso, esta pessoa precisa autorizar a divulgação dessa informação, que será anonimizada e repassada via Bluetooth a dispositivos próximos. Os usuários receberão um aviso, mas não saberão a identidade da pessoa.

"Nossa tecnologia é desenhada para fazer esses apps funcionarem melhor. Cada usuário poderá decidir se quer ou não participar da notificação de exposição; e se uma pessoa for diagnosticada com Covid-19 caberá a ela informar isso ao aplicativo de saúde pública", disseram Google e Apple em comunicado conjunto.

As medidas de segurança e privacidade, segundo as empresas, preveem que os aplicativos não tenham acesso a localização via GPS dos aparelhos. Ao mesmo tempo, o usuário terá que consentir, necessariamente, em fornecer informações, como dados de contato, identificação de exames de confirmação da Covid-19 - incluindo o acesso ao sistema do celular.

De acordo com as companhias, até o momento, 22 países de 5 continentes requisitaram e receberam acesso à tecnologia. Entre eles Alemanha, Uruguai e Holanda. Outros países devem solicitar acesso nas próximas semanas. O Brasil não está na primeira fase da implementação.