Home  >  Inovação

Nvidia aposta em supercomputador para encontrar tratamento contra covid-19

Fabricante anunciou nesta quinta-feira (14) que seu mais novo sistema de inteligência artificial já é usado para melhor compreender a doença

Da Redação

14/05/2020 às 14h15

Foto: Shutterstock

A Nvidia Enterprise anunciou nesta quinta-feira (14) que a terceira geração de seu sistema de inteligência artificial, o novo Nvidia DGX A100, será utilizado pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos para melhor compreender e combater a Covid-19.

Segundo a empresa do CEO Jensen Huang, o sistema DGX A100 fornece, pela primeira vez, 5 petaflops de desempenho de IA, consolidando o poder e os recursos de um data center inteiro em uma única plataforma flexível. A tecnologia já se encontra disponível e começa a ser entregue no mundo todo, informa a Nvidia.

Jensen Huang não mediu os superlativos para descrever o sistema que a companhia tem em mãos: "o melhor instrumento projetado para IA”, descreveu. “Nvidia DGX é o primeiro sistema de IA criado para o fluxo de trabalho de machine learning de ponta a ponta - da análise de dados ao treinamento e à inferência. E com o enorme salto de desempenho do novo DGX, os engenheiros de machine learning podem ficar à frente do tamanho exponencialmente crescente dos modelos e dados de IA”, completou.

Os sistemas DGX A100 integram oito das novas GPUs de Tensor Cores Nvidia A100, fornecendo 320 GB de memória para treinar conjuntos de dados de IA. Com o lançamento, a Nvidia destaca que empresas poderão otimizar a potência e os recursos de computação sob demanda para acelerar cargas de trabalho, incluindo análise de dados, treinamento e inferência, em uma única plataforma definida por software.

Mario Aguiar, gerente sênior da Nvidia Enterprise para América Latina, reforça a vocação do sistema para fins de pesquisa e ciência. “As pesquisas brasileiras poderão se beneficiar muito desse sistema para otimizar o tempo dos cientistas e pesquisadores em busca de uma vacina para a Covid-19 ou até outras doenças, como Dengue e Zika”, explica.

Poder computacional contra a covid-19

Segundo a Nvidia, grandes empresas, provedores de serviços e agências governamentais mundo afora fizeram pedidos iniciais para a DGX A100, com os primeiros sistemas sendo entregues ao Argonne National Laboratory, do Departamento de Energia dos EUA, no início deste mês.

Rick Stevens, diretor associado para computação, ambiente e ciências biomédicas do laboratório Argonne, em comunicado, afirmou que a potência computacional do novo sistema da Nvidia ajudará os pesquisadores a explorar tratamentos, vacinas e estudar a disseminação do vírus, permitindo que os cientistas façam anos de trabalho acelerado por IA em meses ou dias. “Estamos usando os supercomputadores mais potentes da América no combate contra a Covid-19, executando modelos de IA e simulações com a tecnologia mais atual disponível, como a NVIDIA DGX A100”, ressaltou Stevens.

Segundo a companhia, milhares de sistemas DGX da geração anterior estão em uso em todo o globo por uma ampla variedade de organizações públicas e privadas. Entre eles estão algumas das principais empresas do mundo, incluindo fabricantes de automóveis, fornecedores de serviços de saúde, varejistas, instituições financeiras e empresas de logística que estão impulsionando a IA em seus setores.