Home  >  Negócios

Quarentena deve impulsionar mercado de dispositivos de voz a crescer 30% em 2020

Maior tempo dentro de casa deve aumentar demanda por aparelhos ativados pela voz, de acordo com ABI Research

Da Redação

03/04/2020 às 8h00

Aparelho com controle por voz
Foto: Shutterstock

O mercado de equipamentos que funcionam pelo controle de voz deverá crescer globalmente em quase 30% em relação a 2019 - apesar do principal mercado da China ter sido impactado durante o primeiro trimestre de 2020, de acordo com a números da ABI Research.

De acordo com a consultoria, 141 milhões de dispositivos domésticos inteligentes de controle de voz foram vendidos em todo o mundo durante 2019.

As orientações para minimizar a transmissão de COVID-19, que aconselham o menor contato possível com superfícies compartilhadas, mesmo dentro de uma casa, ajudará a consolidar os benefícios do controle inteligente de voz doméstica para milhões de consumidores, afirma a empresa.

"Um lar mais inteligente pode ser um lar mais seguro", disse Jonathan Collins, diretor de pesquisa da ABI, em comunicado. "A chave entre as recomendações sobre a proteção  contra o COVID-19 em casa é limpar e desinfetar superfícies que recebam muito contato diariamente, em áreas comuns de casa", como mesas, cadeiras, maçanetas, interruptores de luz, controles remotos, alças, mesas, banheiros e pias.

Eficiência e diminuição de contágio

A “voz” já ganhou território significativo no espaço de uma casa inteligente, disse Collins. Usar o controle de voz significa que as pessoas podem evitar superfícies comumente tocadas em casa, desde smartphones, até controles remotos de TV, interruptores de luz, termostatos, maçanetas e muito mais. A voz também pode ser aproveitada para compras online e coleta de informações, disse ele.

Quando usada em conjunto com outros dispositivos domésticos inteligentes, a voz traz maiores benefícios, disse Collins. "A voz pode ser aproveitada para controlar e monitorar bloqueios inteligentes, para permitir que as entregas sejam colocadas em casa, ou em outro local seguro, diretamente ou monitoradas com segurança na porta até que o residente possa buscá-las", disse ele.

Da mesma forma, campainhas inteligentes/câmeras de vídeo também podem garantir que as entregas sejam recebidas com segurança, sem a necessidade de interação ou exposição cara a cara, acrescentou. 

"Tais recursos de entrega são especialmente valiosos para aqueles que já estão em quarentena ou para aqueles que recebem kits de teste em casa", disse o diretor.

A voz é tendência

Jonathan Collins acredita que, a longo prazo, "o controle por voz continuará sendo o cavalo de Troia da adoção de casas inteligentes". No momento, a pandemia faz parte da motivação e incentivo adicionais para o controle de voz em casa, a fim de ajudar a conscientizar e ser aplicado em uma variedade de dispositivos e aplicativos domésticos inteligentes adicionais, disse Collins.

"Os fornecedores domésticos inteligentes e os fornecedores de sistemas certamente podem enfatizar o papel da voz e outras implementações domésticas inteligentes para melhorar as rotinas diárias de uma residência e a capacidade de minimizar o contato com superfícies compartilhadas, além de garantir e automatizar as entregas domésticas. "

Além disso, o diretor explica que é importante integrar o monitoramento residencial inteligente e o monitoramento remoto da saúde com vários recursos, como a coleta de pontos de dados pessoais de saúde, como temperatura, atividade e freqüência cardíaca, juntamente com dados ambientais, como qualidade do ar e ocupação. Isso pode "ajudar na resposta e no engajamento mais amplos da gestão da saúde das cidades inteligentes", disse Collins.