Home  >  Sem Categoria

BID lança desafio em busca de projetos que usem blockchain para combater violência a vulneráveis

Organizações lançam desafio para impulsionar o uso de tecnologias emergentes na resolução de problemas sociais.

Dalai Solino

01/04/2020 às 14h00

Foto:

O BID Lab, laboratório de inovação do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), anunciou em conjunto com a fundação Everis um desafio para encontrar projetos baseados na tecnologia blockchain quqe ajudem a prevenir, mitigar e controlar ações como abuso, maus-tratos e violência contra os grupos mais vulneráveis nos países da América Latina e do Caribe.

Chamada “Blockchangel” (Blockchain – Challenge – Angel) a iniciativa convida para participar empresários, empresas, startups, ONGs, fundações etc., individualmente ou em consórcio, desde que cumpram dois requisitos: proponham soluções que tenham como base a tecnologia blockchain e que sejam aplicáveis em qualquer lugar da América Latina ou do Caribe.

O foco no auxílio a mulheres e crianças tem como base dados que apresentam o ecossistema de violência que permeia esse público. Nos últimos dois anos quase 8.000 mulheres foram assassinadas na América Latina e no Caribe vítimas de feminicídio.

Na América Latina e no Caribe, a taxa de assassinatos enquadrados nessa categoria de crime foi o dobro da registrada em outras regiões do mundo.

O panorama também pode se tornar cruel para crianças: quase 300 milhões de crianças são vítimas de algum tipo de disciplina violenta, cerca de 130 milhões de estudantes sofrem bullying e aproximadamente 15 milhões de adolescentes já foram forçados a fazer sexo em algum momento de suas vidas.

Além disso, há um número crescente de maus-tratos a pessoas idosas dentro das próprias famílias.

Propostas

Os organizadores buscam propostas que ofereçam soluções para as seguintes áreas complementares:

1.    Área preventiva – “Chega de vulnerabilidade” soluções que permitem, por exemplo, a geolocalização ou registro de comportamentos violentos, identificação de fatores de risco, etc.

2.    Área de atuação – “Chega de impunidade” - soluções que facilitem o registro e a autenticação on-line, com validade legal.

3.    Área de controle – “Chega de preconceitos” - soluções que possibilitem, por exemplo, identificar as vítimas e ativar protocolos de ação correspondentes aos seus níveis de vulnerabilidade.

4.    Área restaurativa – “Chega de solidão” -  soluções que sejam ativadas on-line, de forma anônima, para assistência e atenção integral às vítimas.

Objetivo

Os projetos selecionados receberão um pacote completo de aceleração, incluindo apoio econômico, empresarial e tecnológico dos organizadores. Além disso, podem tornar-se uma ferramenta essencial na luta contra problemas sociais, que são particularmente alarmantes na América Latina.

Diante da magnitude destes problemas, a tecnologia blockchain pode ser muito útil para desenvolver estratégias com o intuito de alertar, defender e acompanhar as vítimas, agir junto às autoridades e possivelmente deter os agressores. 

O prazo para a apresentação de propostas teve início em 9 de março e termina em 29 de maio de 2020. Para mais informações sobre este projeto, consulte os termos e condições no site da iniciativa