Home  >  Negócios

Redes sociais e empresas de streaming se adaptam a demanda de uso

Com número crescente de pessoas trabalhando remotamente, companhias estão se ajustando para se adaptarem ao alto consumo

Da Redação

26/03/2020 às 9h00

Foto: Shutterstock

A adoção em massa do sistema de trabalho remoto causada pelo novo coronavírus (Covid-19) está causando diversas mudanças e adaptações não só na rotina das pessoas, mas das empresas também.  E uma das áreas que mais está sendo demandada no momento diz respeito ás redes sociais e serviços de streaming. 

Facebook, YouTube, Instagram e Twitter, além de serviços de streaming como Netflix e HBO e serviços de aplicativos, já divulgaram um aumento significativo de audiência.  

Para comparação, Facebook Messenger e Instagram já anunciaram um aumento de 50% na troca de mensagens na última semana. Se levarmos em conta que esse é o serviço que consome menos banda de internet e transportarmos esse número para outros serviços, é possível imaginar o tamanho da demanda tanto de uso como infraestrutura. 

De forma a garantir que o serviço seja entregue para todos os usuários, as empresas estão tomando a iniciativa de diminuir a qualidade de transmissão, o que reduz o consumo de internet.   

O YouTube anunciou na última terça-feira (24) que irai reduzir globalmente a qualidade dos vídeos, trocando a resolução de HD pelo padrão de 480 pixels, com menor resolução. Netflix e Amazon (pela sua plataforma Prime Video) também indicaram que vão diminuir a qualidade padrão de transmissão dos conteúdos para não sobrecarregar a rede. 

Quando se fala em redes sociais, as empresas ainda estão se ajustando para a nova demanda. O caso mais expressivo é o do Facebook.  Os serviços da empresa, que já eram utilizados por boa parte da população, aumentaram exponencialmente por conta do isolamento. 

Na Itália, por exemplo, o número de pessoas que utilizam a rede social para fazer ligações em grupo cresceu em 1000%. Além disso, a empresa está lutando para se acomodar ao consumo de banda de seus próprios funcionários, já que sua força de trabalho (estimada em 45 mil pessoas) está toda trabalhando de casa. 

No Brasil 

A Globoplay (plataforma de streaming do Grupo Globo) informou que deixará apenas o formato de  720 pixels disponível para consumo dos usuários, desabilitando por tempo indeterminado os formatos 1080p e 4k. 

Para entender como a diminuição de qualidade impacta na quantidade de dados gasta pelas plataformas, a Globoplay explicou que um capítulo de novela sob o formato de 720o consome 1,2GB de dados, enquanto o mesmo conteúdo fica em 2,5 GB com formato HD. 

Na última terça-feira (24), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) realizou uma reunião com mais de 60 participantes do setor de serviços OTT para entender o planejamento dessas empresas para manter o fornecimento de conteúdos e outros serviços de banda larga mesmo com o alto uso. 

Da parte das empresas de streaming, todas reforçaram o compromisso de manter o mesmo serviço, mas com qualidade de resolução menor. 

*Com informações do MobileTime