Home  >  Negócios

Airbnb muda política de cancelamentos em meio a pandemia do coronavírus

Startup permitirá que reservas feitas entre 14 de março e 14 de abril sejam canceladas de forma gratuita; suporte também passa por atualização

Da Redação

16/03/2020 às 13h00

Foto: Shutterstock

A startup de turismo Airbnb anunciou no final da semana passada uma série de medidas visando auxiliar viajantes e anfitriões durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).  

Presente em mais de 220 países e em mais de 100 cidades, a empresa está reforçando seus canais de atendimento para tirar as dúvidas do público sobre questões como reagendamentos ou a condição do vírus em determinada região.  

Recebendo mais de 48 mil ligações diárias, a empresa informou que está automatizando as páginas de contato e central de ajuda para oferecer as últimas orientações fornecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e avisos de autoridades locais. 

A companhia também informou que está adotando medidas extraordinárias para auxiliar os clientes durante as próximas semanas. Na sexta (14), a empresa informou que as reservas feitas antes do dia 14 e até o dia 14 de abril poderão ser canceladas sem custo algum para os usuários, independente do serviço contratado. 

A exceção fica por conta da China, país que vivenciou a primeira onda do vírus e já observa uma diminuição de casos. O sistema de reservas da startup deve voltar a funcionar sob condições normais já no dia 1° de abril. 

"Entendemos que este anúncio impactará hosts em todo o mundo, muitos dos quais dependem da economia que geram no Airbnb. Trabalharemos nos próximos dias e semanas para identificar ferramentas e iniciativas para apoiar nossos anfitriões durante esses tempos muito difíceis", afirmou a empresa em comunicado. 

A companhia não é única empresa de turismo que está mudando sua política de cancelamentos em virtude à pandemia: as redes de hotelaria Hilton e Mariott também estão permitindo o reagendamento gratuito.