Home  >  Negócios

Por coronavírus, empresas impõem restrições a funcionários

Viagens, tanto nacionais como internacionais, apenas em casos de urgências; conferências globais também foram canceladas

Da Redação

02/03/2020 às 10h00

Foto: Reprodução

Com mais de 83 mil infectados e 3 mil mortes, o coronavírus começa
a perder força na China, com fábricas reabrindo gradativamente. Porém,
enquanto o Covid-19 (variação atual do vírus), começa a surgir em outras
regiões do mundo, as grandes empresas estão se movimentando para mitigar o surgimento da doença. 

No Brasil, o segundo caso da doença foi diagnosticado no final da semana passada, sendo de um funcionário da corretora XP Investimentos que havia voltado da Itália na última quinta e foi ao escritório. Após um teste, o resultado apresentou positivo para o vírus e desde então ele permanece em casa. 

Os colegas de trabalho que entraram em contato com ele também realizaram o teste e, por precaução, ficarão em casa pelas próximas duas semanas — tempo no qual os sintomas do vírus são contagiosos. 

Atualmente, o Ministério da Saúde está monitorando 252 pacientes com suspeita de infecção pelo covid-19, sendo que já foram descartados 89 casos. A maior parte dos potenciais pacientes está em São Paulo, com 136 casos registrados.

Para aumentar o conhecimento da população sobre o vírus e dicas de prevenção, o Ministério lançou recentemente o aplicativo Coronavírus - SUS, disponível para o sistema Android.

Impacto no setor tech 

Com 70 casos confirmados nos EUA, as principais companhias como Amazon e Google deram ordem para que viagens, tanto nacionais como internacionais, sejam realizadas apenas em casos de necessidade extrema, além de evitar locais em que a presença do vírus esteja mais consolidada, como China, Irá e Itália. 

A realização de conferências globais, eventos tradicionais do setor, também foi colocada em risco pelo receio da propagação do covid-19. Após o cancelamento da MWC, evento de telefonia que deveria ter ocorrido em fevereiro, a Google cancelou o Google News Initiative Summit, que deveria acontecer no final de abril e o Facebook também desistiu de organizar a F8, sua conferência com desenvolvedores. 

Eventos como o Google I/O conferência também organizada pela Google para desenvolvedores, e o WWDC, da Apple, também estão em risco, apesar de ambas as empresas não terem se manifestado ainda. 

*Com informações da Tech Republic