Home  >  Negócios

EUA pede que Europa evite usar tecnologia 5G da Huawei

Pedido faz parte de um esforço movimento pelo governo para impedir que aliados usem equipamentos da companhia, acusada de espionagem

Da Redação

24/02/2020 às 8h00

Foto: Reprodução

Robert Strayer, vice-secretário adjunto de cibersegurança dos EUA, declarou em visita à Lisboa que os países da União Europeia não teriam motivos para optar pela aquisição de equipamentos comercializados pela Huawei, já que os produtos vendidos por Ericsson, Nokia e Samsung entregariam o mesmo nível de qualidade. 

A declaração do diplomata faz parte de um esforço de Washington para desestimular países aliados a construir a infraestrutura da nova rede de conexão com equipamentos da empresa chinesa. A ofensiva dos EUA deve-se à suspeita levantada pelo país de que a empresa atua como espiã para o governo do seu país de origem.  

A crença dessa narrativa vindo dos EUA é tão forte que, no ano passado, o país decretou que nenhuma de suas empresas poderiam fazer negócios com a organização, bloqueando sua operação no país. Atualmente, a Huawei está em processo de saída dos Estados Unidos. 

Nesta semana, a fabricante de smartphones e telecomunicações divulgou um posicionamento afirmando que as acusações são feitas com base em casos já julgados e que “As novas acusações do Departamento de Justiça dos Estados Unidos contra a Huawei fazem parte desta campanha. Isso consiste em perseguição política, pura e simplesmente”. 

O posicionamento dos EUA está provocando reações conflituosas dentro do continente europeu, principalmente depois que o Reino Unido aprovou, com restrições, a participação da empresa na montagem de seu 5G. 

Durante sua visita, Strayer enfatizou que empresas como Ericsson, Nokia e Samsung fornecerem tecnologia comparável à da Huawei, além de enfatizar que, caso os países usem as redes dessas marcas, todos os envolvidos teriam equipamentos compatíveis, evitando potenciais problemas de compatibilidade.

*Com informações da Reuters