Home  >  Negócios

Companhia fundada por Andy Rubin, criador do Android, decreta falência

Conhecida como Essential, empresa tinha a proposta de permitir a troca de componentes dos smartphones

Da Redação

18/02/2020 às 11h00

Foto: Reprodução/YouTube

Fundada por Andy Rubin, criador do sistema operacional Android, em 2017, a fabricante de celulares Essential anunciou recentemente que irá encerrar suas atividades. Ela ficou conhecida no mercado por conta da promessa de criar um smartphone com experiência Android 'pura", boas especificações e a capacidade de trocar componentes do aparelho, aumentando sua vida útil ou otimizando alguma característica como a câmera ou bateria. 

O único produto comercializado pela marca atende pelo nome de Essential Phone. Na época, o aparelho parecia promissor: foi o primeiro modelo com uma grande área dedicada ao painel, e apenas um pequeno entalhe na região frontal

Porém, o fato de todos os produtos custarem preços considerados altos e o fato de que a companhia operava unicamente nos EUA fez com que o produto não se tornasse atraente, visto que havia opções tão boas e de marcas mais consolidadas. 

Outra questão delicada envolvida o fundador Andy Rubin, que foi acusado de assediar uma funcionária quando ainda trabalhava para o Google. Em 2018, uma reportagem do The New York Times mostrou que a companhia abafou o caso (e também de outros executivos de alto escalão acusados do mesmo crime) e pagou ao executivo US$ 90 milhões pela rescisão de contrato. 

A companhia nunca se recuperou após o escândalo e as vendas fracas do primeiro modelo (cerca de 90 mil unidades). O sucessor do Essential Phone foi cancelado e, no anúncio de agora, a empresa confirmou que funcionará até 30 de abril. 

Tags