Home  >  Negócios

Apple avisa que receita do trimestre será menor por conta do coronavírus

Atraso na fabricação de aparelhos e queda de consumo chinês foram os motivos assinalados pela fabricante a seus investidores

Da Redação

18/02/2020 às 9h00

Foto: Shutterstock

Na tarde dessa segunda-feira (17), a Apple emitiu um comunicado aos seus investidores informando que espera um resultado menor do que o previsto originalmente para o primeiro trimestre do ano, a ser encerrado em março. Para a surpresa de ninguém, o responsável por essa revisão para baixo atende pelo nome de COVID-19, a variação do coronavírus presente na China. 

Segundo números atualizados, a doença já vitimou 1,885 pessoas, sendo que o total de casos confirmados está em 72,4 mil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) 

A companhia explica que o surto impactou seus negócios em duas frentes importantes. A primeira é a produção de smartphones
e outros aparelhos, feita quase que integralmente dentro da China. A
marca explica que, apesar de suas fábricas ficarem afastadas da
província de Hubei (onde o surto teve início) e a produção ter voltado, o estado de alerta imposto em todo o país reduziu os horários de trabalho e diminuindo o ritmo de produção. 

Vale lembrar que a empresa estava se programando para lançar durante este intervalo um modelo mais acessível do iPhone SE (avaliado em US$ 400) e novas versões do iPad Pro, equipados com câmeras de melhor resolução. Apesar de não haver notícias de mudanças de data, é possível que ocorra um atraso na chegada destes produtos ao mercado. 

Outra frente que também foi influenciada pelo COVID-19 está relacionada com a compra de iPhones e afins pelo público chinês, que durante os últimos anos se mostrou um grande consumidor dos modelos topo de linha da Maçã.  

A empresa afirmou que a crise fez com que a maioria de suas lojas fosse fechada e apenas os escritórios administrativos e os serviços de venda pela internet continuassem operando.  As lojas que ainda funcionam têm horário de atendimento reduzido e pouca circulação de pessoas. 

Por fim, a firma ressaltou que a prioridade número 0 é garantir que todos os funcionários, parceiros e clientes se mantenham seguros e com saúde enquanto os números de contágio e morte do COVID-19 não se reduzem.  Como um sinal de otimismo, a Apple informou que suas vendas fora da China se encontram "forte até agora, em linha com nossas expectativas". 

A Apple não apresentou em seu comunicado números atualizados da sua projeção para o primeiro trimestre de 2020, informando que pretende trazer mais informações sobre o que esperar para este trimestre em sua teleconferência marcada para abril.