Home  >  Negócios

Por segurança no 5G, União Europeia quer estreitar relações com Brasil

Braço executivo da organização busca chegar a um acordo com governo sobre padrões de segurança que podem ser adotados para evitar espionagem

Da Redação

11/02/2020 às 13h00

Foto: Shutterstock

Mais avançada no processo de implementação da infraestrutura do 5G, a Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, está interessada em trabalhar junto com o governo brasileiro para a certificação de equipamentos, com o objetivo de evitar falhas de segurança.  

A 'Comissão' já encaminhou para entidades do governo brasileiro seu plano com as diretrizes sobre como será realizada a mitigação de riscos de segurança para as futuras redes de 5G.Além da restrição sobre a atuação de determinados fornecedores em sistemas essenciais do 5G, o órgão sugere que seja elaborado um esquema de certificações técnicas para assegurar que os sistemas estão protegidos contra sabotagens. 

O órgão europeu vem se mostrando disposto a cooperar com o governo brasileiro para essa troca de dados. Há, ainda, a possibilidade que ambos os locais utilizem parâmetros idênticos de certificações, que estariam validados em ambas as regiões. 

Apesar de não citar a Huawei em nenhum dos comunicados enviados ao governo brasileiro, fica claro que esse esforço está sendo realizando em meio aos questionamentos do governo americano quanto a importância eu companhia dá à privacidade de dados. 

As críticas americanas aumentaram após autorização recém-concedida pelo governo britânico para a Huawei atuar como empresa fornecedora. Apesar de proibida de atuar em projetos que envolvam a troca de dados, os EUA acreditam que a ainda criticam a permissão dada pelo continente. 

No Brasil, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) é o responsável por regular a política pública do páis com relação à segurança cibernética. Existe um grupo de trabalho criado com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) para estudar a proposta e demais regulações do 5G. 

Atualmente, o Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é a responsável por coordenar todo o processo de implementação do 5G no país. No momento, a autarquia prevê para o começo de 2021 a venda de licenças de operação para as faixas de 700 megahertz (MHz), 2,3 gigahertz (GHz), 3,5 GHz e 26 GHz, reservadas para a nova conexão. 

*Com informações do Valor Econômico 

Tags