Home  >  Negócios

Sob ameaça de coronavírus, empresas cancelam participação na MWC

Amazon, Ericsson e Sony cancelaram participações no evento, conhecido por apresentar as principais tendências para dispositivos móveis

Da Redação

10/02/2020 às 13h00

Foto: Shutterstock

A China atravessa no momento uma epidemia de uma variação do coronavírus que está causando mortes e infecções no país. De acordo com os dados mais recentes, mais de 40 mil habitantes do país estão infectados pelo vírus, que já causou mais de 900 mortes. 

E a propagação da doença já é sentida no meio de tecnologia: além de possíveis atrasos na entrega de produtos ou montagem de componentes (já que muitas companhias montam sua linha de produção na China), diversas empresas estão cancelando presença no Mobile World Congress (MWC), um dos principais eventos do ano, voltado para exibir soluções do mercado de conexão móvel e telecomunicações. 

No último final de semana, Amazon, Ericsson e Sony foram as últimas empresas a declarar que não mandarão colaboradores para o evento, que ocorrerá na última semana de fevereiro e deve levar mais de 100 mil visitantes para Barcelona na Espanha. 

"Devido ao surto e preocupações contínuas sobre o novo coronavírus, a Amazon se retirará da exibição e da participação no Mobile World Congress 2020", afirmou a companhia em comunicado divulgado no final de semana. 

“Estamos aderindo às últimas recomendações das autoridades nacionais e internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), para garantir a segurança de nossos funcionários, clientes e stakeholders e ajudar na contenção do vírus. Depois de um levantamento interno e extensivo de risco, decidimos ir mais além e desistir da MWC Barcelona 2020”, disse em comunicado o presidente e CEO da Ericsson, Börje Ekholm. 

"Como damos importância absoluta para a segurança e bem-estar dos nossos clientes, parceiros, jornalistas e empregados, tomamos a difícil decisão abandonar nossa exibição [de novidades] e participação ba MWC", foi o aviso por escrito enviado pela Sony. 

Anteriormente, a fabricante coreana LG e a companhia americana de semicondutores Nvidia também declararam que não estarão no evento.

A edição deste ano é bastante aguardada pela indústria pois a expectativa é de que as organizações soluções mais consolidadas sobre a aplicação da tecnologia 5G.

Precauções para o evento

A GSMA, empresa que organiza o MWC, confirmou que o evento está de pé e reforçou que tomará medidas severas para garantir a saúde de todos os participantes.   

Estão proibidas de participar pessoas vindas da província chinesa de Hubei (local onde se iniciou o surto do coronavírus) e participantes vindos da China só terão acesso após provarem que estão fora do país há mais de 14 dias, período máximo que o vírus demora para se manifestar no corpo humano. Apertos de mão, cumpirmento comum em várias culturas, também serão proibidos. 

Segundo dados da Reuters, o MWC recebe anualmente entre 5 mil e 6 mil visitantes da China. Companhias como ZTE e Huawei confirmaram que estarão presentes no evento e já avisaram que implementaram um esquema especial para os funcionários que saírem da China. 

Caso o número de participantes não cubra os custos de montagem da feira, o valor faltante será coberto pelos exibidores presentes. O custo somente ficaria a cargo da GSMA caso a companhia cancelasse todo o evento.