Home  >  Negócios

Bill e Melinda Gates dedicarão US$ 100 milhões para combater coronavírus

Fundo deverá financiar pesquisa para ajudar a melhorar detecção, isolamento e tratamento do coronavírus

Da Redação

06/02/2020 às 16h08

Foto: Shutterstock

A Fundação Bill & Melinda Gates informou nessa quarta-feira (5) que dedicará até US$ 100 milhões a uma resposta global ao coronavírus. Em janeiro, a fundação já havia se comprometido com US$ 10 milhões em esforços para ajudar a melhorar a detecção, isolamento e tratamento do coronavírus.

Detectado pela primeira vez em dezembro na cidade de Wuhan, na China, o vírus já matou mais de 500 pessoas, a maioria sendo vítimas chinesas. Mais de 28 mil pessoas já foram diagnosticadas com o coronavírus. A Organização Mundial da Saúde declarou a epidemia como uma questão de saúde pública em escala global.

"Organizações multilaterais, governos, o setor privado e filantropia devem trabalhar juntos para desacelerar o passo da epidemia, ajudar países a proteger seus cidadãos mais vulneráveis e acelerar o desenvolvimento de ferramentas para colocar a epidemia sob controle", escreveu o CEO da Fundação Bill e Melinda Gates Mark Suzman em comunicado à imprensa.

"Nossa esperança é que esses recursos ajudem a catalizar uma rápida e e efetiva resposta internacional. Essa resposta deve ser guiada pela ciência, não pelo medo e deve ser construída nos passos que a Organização Mundial da Saúde tem tomado".

O impacto do coronavírus no setor de tecnologia

O coronavírus também tem afetado a produtividade de grandes companhias de tecnologia. Com grande parte das operações concentrada em território chinês, gigantes do setor já interromperam o funcionamento das fábricas, além de impedir a viagem de funcionários e fechar lojas. Apple, Google, Facebook foram afetadas. Assim como a chinesa Xiaomi.

Recentemente, autoridades em cibersegurança também alertam para o fato de hackers estarem se aproveitando do interesse global no coronavirus para lançar campanhas de phishing e malware.