Home  >  Inovação

Startups focadas no mercado jurídico começam a ganhar relevância

Utilizando ferramentas como análise de dados e inteligência artificial, negócios digitais começam a ser incorporados dentro dos escritórios

Da Redação

27/01/2020 às 11h00

Foto: Shutterstock

Apesar de uma resistência inicial do setor, as startups que atuam dentro do setor de advocacia (chamadas lawtechs) começam a ter uma participação cada vez mais presente tanto para os membros da profissão como para o público geral. 

Atualmente, os negócios criados para esse setor estão divididos em duas vertentes: otimizar a gestão administrativa e carteira de processos dos negócios ou fazer a análise de dados para mapear decisões judicais, economizando uma quantidade significativa de tempo e auxiliando as equipes para a construção de um material com maior qualidade. 

A Macdata Tecnologia é o exemplo de uma empresa que utiliza tecnologias de ponta para solucionar problemas jurídicos. Algumas de suas soluções realizam automaticamente os cálculos judiciais para definir os valores que serão pagos em decisões judiciais e acordos, integrando de forma automática o sistema à folha de pagamento. Com essas melhorias, um trabalho que em geral levava dois meses para ser realizado, hoje é feito em cerca de 5 dias.  

  • Leia na IT Trends: 

Transformação digital exige mudanças imediatas 

Você está pronto para o futuro do trabalho? 

A companhia também utiliza inteligência artificial (IA) para analisar processos e fazer cálculos. De acordo com o Antonio Carlos Alvim de Macedo, diretor da empresa, o sistema consegue calcular cerca de três mil processos por mês apenas na área de telemarketing”. Entre 2006 e 2012, a Macdata analisou mais de 100 mil processos. 

Já a Previdenciarista, fundada em 2013, criou um sistema que analisa o sistema da Previdência para, com base nas informações do caso, apresentar os direitos que o cliente tem e orientar sobre as petições que podem ser tomadas para iniciar o processo. 

De acordo com Renan Oliveira, cofundador da startup, o sistema é capaz de apresentar até 12 cenários para o advogado, permitindo que ele decida junto com o cliente a melhor estratégia a ser adotada.  

Hoje, a base de dados da marca conta com nove mil assinantes ativos e tinha como meta terminar 2019 com aumento de 40% na base de dados. Entre agosto e dezembro, a companhia realizou cerca de 150 mil cálculos m mais de um milhão de benefícios previdenciários computados. 

Negócios e oportunidades 

A Resolvvi também é uma empresa que se enquadra no setor de lawtechs, mas voltada para o atendimento ao consumidor final e focada na resolução de problemas envolvendo passagens áreas. De acordo com a empresa, o passageiro entra no site, preenche um questionário e verifica se o problema vale indenização. Todo o processo é feito de forma on-line.   

Desde quando foi fundada, em agosto de 2017, a companhia já atendeu 2,5 mil clientes. Em 2018, a Resolvvi, recebeu aporte de R$ 150 mil e no ano passado mais R$ 2,2 milhões, da Domo Invest e da GVAngels. Com o valor, o objetivo é aumentar o time de tecnologia e levar a plataforma para outros mercados.   

Com o surgimento dessa vertical de negócios, os escritórios de advocacia estão buscando se aprofundar no uso dessas tecnologias para entendê-las e proporcionar melhor orientação jurídica para seus clientes. Outro setor no qual esse público está precisando se especializar é o de fintechs, já que empresas de diversos segmentos estão buscando os escritórios para entender como podem criar produtos financeiros

*Com informações do Valor Econômico