Home  >  Segurança

Próxima revolução de pagamentos será garantida pela tokenização, diz Visa

Tecnologia coloca camada extra de segurança às transações online. No Brasil, houve aumento de 300% nas transações tokenizadas em 2019

Carla Matsu

27/01/2020 às 15h12

Foto: Shutterstock

Uma das promessas da Internet das Coisas é permitir o tipo de experiência sem fricção que novos modelos de negócios assopram em direção à nossa conveniência. Pense em geladeiras conectadas que, habilitadas com sensores e conectadas à nuvem de varejistas, poderão informar que chegou o momento inadiável de comprar mais leite, ovos ou manteiga e esse tipo de informação e automação não exigir mais incômodas idas ao supermercado. Afinal, com todas as pontas conectadas, o reabastecimento acontecerá a porta de casa.

Este, é claro, só um exemplo. A Internet das Coisas, na esteira do potencial do 5G, promete gerar uma nova onda de inovação do ponto de vista do consumidor, do varejo e das empresas. Mas uma das equações que pode vir a preocupar este novo ecossistema diz respeito à segurança. Neste sentido, Leandro Garcia, diretor de Soluções da Visa do Brasil, diz que a garantia das transações encontra seu caminho na tokenização.

“A tokenização veio para resolver este problema, o mundo da Internet das Coisas”, destaca o executivo. “Quando eu falo em casa conectada e, principalmente, no mundo do e-commerce, eu deixo de ter um cartão físico. Coloco uma credencial de pagamento em cada um desses locais. Meu cartão físico permanece na carteira e quando decido colocar nos dispositivos IoT, eu gero um token, com 16 novos números. Todos os outros dispositivos trabalham de forma independente”, explica.

A tokenização é uma tecnologia de segurança relativamente recente, retoma há cerca de cinco anos, e sua vocação é oferecer uma camada extra de proteção. A tecnologia substitui o tradicional número de cartão por um token, uma sequência única de caracteres a cada compra.

Segundo a Visa, a próxima revolução de pagamentos - seja por meio de um carro, de um celular ou de uma geladeira - terá na tokenização uma de suas protagonistas. Levantamento da Visanet sobre os três primeiros meses de 2019 aponta que no Brasil, a adoção da tecnologia já é uma realidade. Segundo o estudo, o País registrou taxas 20% menores em fraudes nas transações tokenizadas em relação ao número de fraudes encontradas em transações que não fazem uso da tecnologia. A solução de tokenização da Visa é chamada de Visa Token Service. Por meio dela, os dados do cartão são substituídos por um identificador digital exclusivo, usado para processar pagamentos sem expor dados sensíveis da conta do portador do cartão.

Se para o consumidor final, a tokenização promete entregar a experiência sem fricção, do lado do varejista, tem potencial para alavancar receitas. O estudo da Visanet aponta que a solução tem garantido um incremento de 30% na taxa de autorização em relação às transações online tradicionais. Este tipo de dado reforça o ambiente necessário para se alinhar às previsões do Euromonitor International, empresa de pesquisa de mercado, que aponta que o e-commerce se consolida para se tornar o maior canal global de varejo até o ano de 2021.

Segundo a companhia, mais de 410 milhões de tokens já foram emitidos em todo o mundo pela Visa, e mais de 100 mercados estão aptos a usar a tokenização. No Brasil, registrou-se aumento de 300% nas transações tokenizadas no primeiro semestre do ano passado em relação ao acumulado do ano anterior.