Home  >  Negócios

Com retirada de botão, Instagram reforça tese de que IGTV “não pegou”

Após quase dois anos de tentativas para catapultar plataforma de vídeos longos, rede social parece ter jogado a toalha

Da Redação

21/01/2020 às 14h00

Foto: Shutterstock

Na última semana, a interface do Instagram passou por uma sutil, mas ao mesmo tempo significativa, mudança: o botão laranja do IGTV, que ficava no lado superior esquerdo da tela, foi removido. 

Em comunicado para o Techcrunch, a equipe do Instagram informou que a medida foi tomada porque a empresa descobriu que poucas pessoas tocavam de fato no botão para acessa a plataforma: "descobrimos que a maioria das pessoas está encontrando conteúdo da IGTV por meio de visualizações no Feed, o canal IGTV no Explore, os perfis dos criadores e o aplicativo independente". 

  • Leia na IT Trends: 

Conheça as 10 habilidades tecnológicas mais procuradas pelas empresas 

Learning agility e outras habilidades valorizadas pelos CEOs 

Antes e depois da tela inicial do Instagram | Créditos: TechCrunch

Não é que a retirada do botão encerre o uso do IGTV dentro do ‘Insta’: como foi explicado dentro do comunicado, é possível acessá-lo por outros caminhos da rede social que não seja pelo agora antigo botão.

A medida, porém, reforça a dificuldade que a gigante Facebook Inc. vem encontrando para emplacar a funcionalidade. Que, diferente dos recursos “Stories” ou “Melhores Amigos”, teve adesão baixíssima dentro da rede de usuários.  

E por adesão baixíssima, queremos dizer: desde seu lançamento, em junho de 2018, o aplicativo do IGTV recebeu 7 milhões de downloads, de acordo com a Sensor Tower. Número que fica pequeno quando se comparada com o da rede social Instagram, com mais de 1 bilhão de pessoas. 

A baixa quantidade fica ainda mais evidente quando comparado com outro app com funcões similares. A mesma Sensor Tower analizou que o IGTV recebeu apenas 1,15 milhão de downloads dentro dos EUA, contra 80,5 milhões realizados pelo TikTok. Ou seja: dentro da terra-natal, o app chinês foi instalado 80 vezes mais.

Apesar de o TikTok ter realizado uma campanha massiva de anúncios,
o IGTV tem ao seu lado o apoio das duas maiores plataformas de rede
social utilizadas no Ocidente. O que deveria ter contribuído para um
número um pouco de downloads. 

Motivação para criar 

Desde que foi lançado, o IGTV luta para competir com plataformas de vídeo novas (TikTok, Kwai) e antigas (Snapchat, YouTube), mas tem falhado dentro de uma das táticas principais para ganhar espaço dentro desse mercado: trazer criadores que arrastem multidões. 

Boa parte do “marasmo” do Instagram se deve ao fato de que a plataforma não possui um sistema de monetização como acontece com o YouTube e Facebook Watch, o que diminui a probabilidade de um influenciador investir em conteúdo exclusivo para a plataforma. 

 O máximo que a empresa realiza nesse sentido, de acordo com uma reportagem publicada pela Bloomberg, é cobrir os custos que alguns influenciadores têm ao produzir conteúdo para o IGTV.

Sem incentivo financeiro, os grandes nomes não consideram a plataforma e daí poucos usuários acabam interagindo com ela: excetuando vídeos publicados por contas já famosas no Instagram, a média de visualizações em português encontradas pela Computerworld durante o fechamento da matéria estava em menos de 20 mil pessoas. 

O Instagram vem realizando mudanças internas para melhorar a usabilidade do IGTV, como permitir que o sistema grave vídeos na horizontal. Mas se o objetivo é realmente fazer do produto um vencedor dentro de um mercado que já se encontra bastante competitivo, será necessário investir de forma mais consistente e objetiva do que vem sendo feito no momento. 

Tags